NOTÍCIAS

bakirkoy masaj evde masaj istanbul masaj masaj xnxx video ensest hikaye
BPO, sua empresa ainda terá um

Quando se fala em terceirização de serviços ou processos internos muitas empresas ainda têm uma desconfiança natural. Terceirizar serviços significa, para a maioria dos gestores, perder o controle de suas atividades e equipes. Estas perdas, consequentemente, tornam-se um risco que nenhuma empresa quer assumir.

Qualquer processo, seja terceirizado ou próprio, apresenta riscos, quando não gerenciado da forma adequada. Ao optar por um BPO (Outsourcing de Processos de Negócios), a empresa não estará, necessariamente, aumentando os riscos. Eles serão os mesmos, porém o controle e a gestão serão mais eficazes, trazendo retornos consistentes para o negócio.

O dinamismo crescente da economia e dos setores quebra o paradigma de que BPO é meramente uma redução de custos a curto prazo. As empresas precisam enxergá-lo como uma parte integrante das estratégias corporativas, caso queiram ter um negócio sustentável a longo prazo.

Num futuro próximo, a adesão ao BPO será um caminho natural para a manutenção de uma empresa, porém, cabe às corporações definirem se contratarão um BPO apenas para reduzir custos ou contribuir com a estratégia. A segunda opção é possível e viável quando a contratação do fornecedor não está focada na terceirização de pessoas e sim do serviço. Portanto, ao contratar um fornecedor, o responsável pelo projeto deve buscar um parceiro, pois como em qualquer relação de longo prazo, a parceria possibilita o foco na mesma direção e ambos enfrentam juntos os desafios e obstáculos encontrados pelo caminho.

A escolha do fornecedor mais adequado deve seguir uma visão estratégica, com o contratante conhecendo antes os objetivos e o esperado da operação terceirizada, de forma realista. Dessa forma, são evitados possíveis conflitos durante a operacionalização. A análise da capacidade do parceiro de absorver o processo, além de torná-lo mais eficiente e rentável, é essencial.

Continuar o trabalho que a equipe já está fazendo não trará benefícios diferentes dos que já existem. Portanto, é necessário que o fornecedor traga inovação, automatização e diferenciação e que todo o trabalho seja medido e avaliado constantemente para garantir a qualidade e a estabilidade do serviço. Todos esses pontos devem ser apoiados por uma equipe qualificada, por isso, é fundamental que o contratado tenha uma preocupação não só com o processo, mas também com as pessoas envolvidas, por meio da formação e motivação de cada integrante da equipe.

Como em todo relacionamento, a parceria deve estar apoiada em Acordos de Nível de Serviço (SLAs ou ANSs) claros e consistentes, que contemplem desde a forma de trabalho até indicadores e avaliadores de desempenho, sempre com atenção no serviço e os resultados que eles podem entregar para a empresa.

O parceiro deve conseguir rentabilizar e tornar a operação eficiente, por isso é fundamental ter uma relação de “ganha-ganha”, transferindo os resultados da produtividade ao cliente e vice-versa. Só assim um relacionamento poderá ser sólido e duradouro.

O modelo de BPO deve ser acompanhado por um responsável capaz de suportar a pressão dentro do cliente, por manter a inércia da situação atual, lembrando sempre que mudar, para uns, é um risco e, para outros, uma oportunidade. Quem decide é o cliente.

* Marco Galaz é sócio responsável por BPO da Everis no Brasil - www.everis.com.br



Publicado em: 06/08/2012         Fonte: Por Marco Galaz - Revista Inco         Postado por: Equipe Essência Sobre a Forma

Voltar

 

beylikduzu escort
porno
porno
bodrum bayan escort