NOTÍCIAS

Dólar encosta em R$ 2,39, maior valor desde início de leilões diários do BC

dólar comercial fechou em em alta pelo quarto dia seguido nesta quarta-feira (4), com avanço de 0,42%, a R$ 2,389 na venda. 

É o maior valor de fechamento desde de 22 agosto, quando a moeda norte-americana fechou valendo R$ 2,432. É também o maior valor desde que o Banco Central começou seu programa de leilões diários no mercado, em 23 de agosto, na tentativa de conter a alta da moeda.

Segundo dados da BM&F, o volume de negociação ficou em torno de US$ 1,15 bilhão.

A tendência para a moeda norte-americana ainda é de alta, e deve voltar a superar o nível de R$ 2,40 em breve, segundo analistas consultados pela agência de notícias Reuters. 

Investidores estavam pessimistas, após adivulgação de dados que apontam uma melhora na economia dos Estados Unidos. Há a preocupação de que o banco central norte americano (Federal Reserve, ou Fed) comece a reduzir seus estímulos econômicos de US$ 85 bilhões mensais em breve.

setor privado dos Estados Unidos abriu 215 mil postos de trabalho em novembro, superando as expectativas de economistas, de acordo com o Relatório Nacional de Emprego da ADP. 

Outros dados mostraram que as vendas de novas moradias para uma única famíliaregistraram o maior aumento em quase 33 anos e meio em outubro, sugerindo que o mercado imobiliário está se recuperando, apesar de taxas hipotecárias mais altas.

Atuação do BC no mercado de dólar

O Banco Central manteve seu programa de intervenções diárias no mercado de câmbio nesta quarta.

Foram vendidos 10 mil contratos de swap cambial tradicional (equivalente à venda de dólares no mercado futuro) com vencimento em 2 de junho de 2014. Os contratos com vencimento em 5 de março não foram vendidos. A operação movimentou US$ 496 milhões.

De segunda a quinta, são realizados leilões equivalentes à venda de dólares no mercado futuro; às sextas, são feitos leilões de venda de dólares com compromisso de recompra.

Fim do estímulo nos EUA preocupa investidores no mundo todo

Nos últimos meses, os investidores estão preocupados com a recuperação da economia dos Estados Unidos. Com sinais de que o país está superando a crise, o banco central do país começou a avaliar uma redução em seu programa de estímulos.

Atualmente, o Fed injeta US$ 85 bilhões nos mercados, em um programa conhecido como QE3. O BC americano tem utilizado uma ferramenta clássica de política econômica para fazer essa injeção de recursos: a compra de títulos públicos (pedaços da dívida estatal, vendidos pelo Tesouro dos EUA) em mãos de investidores e bancos.

Sem essa enxurrada de dólares e com juros mais altos nos EUA, os investidores tendem a preferir opções consideradas mais seguras, e tirar recursos de países emergentes.

Dólares baratos que alimentaram um boom no Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul na última década diminuíram desde que o Fed alertou, em maio, sobre a redução do esquema de compra de títulos dos EUA.



Publicado em: 04/12/2013         Fonte: Fonte: UOL Notícias         Postado por: Reinaldo Pereira Santos

Voltar

 

bursa escort
porno
porno
bodrum bayan escort