NOTÍCIAS

bakirkoy masaj evde masaj istanbul masaj masaj xnxx video ensest hikaye
Mercado pede retirada de IOF para estrangeiro

O dólar à vista iniciou junho a R$ 2,1357, estável em relação a sexta (-0,07%), mas ainda na maior cotação desde maio de 2009.

A cotação do dólar comercial cedeu ontem 0,74% e voltou a R$ 2,127.

De um lado, a recuperação dos EUA eleva as taxas de juros americanas (os títulos de 10 anos da dívida publica pagam juros de 2,134% -0,5 ponto acima do 1,631% de 1º de maio) e pressiona a desvalorização das moedas emergentes.

De outro, o resultado fraco da economia brasileira, a corrosão da renda pela inflação e a piora nas contas externas reduzem a atratividade do país.

Nem o leilão de títulos cambiais da massa falida do Banco Econômico, previsto para hoje, deve ter fôlego para inverter a trajetória. "Esses títulos deverão ir para os fundos cambiais e não para quem tem necessidade de proteção cambial", disse Sidnei Nehme, diretor da NGO.

"Em uma semana, mudou todo o cenário: o PIB decepcionou e o BC subiu os juros acima do esperado. O mercado precisa de um tempo para chegar a novos consensos", diz André Perfeito, da Gradual.

O patamar fez o mercado começar a pressionar o governo a reduzir o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 6% para estrangeiros que investirem em renda fixa.

O objetivo é estimular a entrada de divisas, aliviando a pressão na inflação.



Publicado em: 04/06/2013         Fonte: Folha de São Paulo         Postado por: Equipe Essência Sobre a Forma

Voltar

 

bursa escort
porno
porno
bodrum bayan escort