NOTÍCIAS

bakirkoy masaj evde masaj istanbul masaj masaj xnxx video ensest hikaye
Mantega quer R$ 40 bi em corte de tributos em 2013 e prevê PIB de 4%


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quarta-feira (19) que pretende promover novas reduções de tributos da ordem de R$ 40 bilhões em 2013. Durante café da manhã com jornalistas, ele também informou que estima uma alta do Produto Interno Bruto (PIB) da ordem de 4% – abaixo, portanto, dos 4,5% de alta prevista para o próximo ano que consta na proposta de orçamento federal de 2013.

"Teremos uma desoneração de R$ 40 bilhões em 2013. Vamos ter redução de tributos permanentes, como a desoneração da folha de pagamentos, que será ampliada. A economia brasileira terá mais competitividade no próximo ano", declarou o ministro, que pretende anunciar ainda nesta quarta a inclusão de mais um setor no rol daqueles beneficiados pela desoneração da folha de pagamentos.

Segundo Mantega, mudanças no PIS e na Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) serão anunciadas em breve, possivelmente também no fim desta quarta-feira. "Pelo formato atual, o PIS e a Cofins não permitem aproveitamento de crédito de serviços. Vamos ampliar isso para começar no ano que vem", declarou ele.

O ministro da Fazenda também se mostrou otimista sobre a proposta do governo de reformar o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) interestadual. A proposta do governo, que está sendo enviada ao Congresso Nacional, prevê uma unificação da alíquota interestadual do tributo em 4% e a instituição de fundos de compensação, e de desenvolvimento regional, para os estados que perderiam receitas, além de reduzir o indexador das dívidas estaduais – permitindo um fluxo de caixa melhor para os estados.

De acordo com ele, a redução de tributos, que está estimada em R$ 45 bilhões neste ano, com previsão de outros R$ 40 bilhões em 2013, está sendo implementada porque há "espaço fiscal". Segundo Mantega, isso só está sendo possível por conta do processo de redução dos juros básicos da economia, a Selic, implementada pelo BC. Esse processo, segundo ele, diminui o pagamento de juros da dívida pública, permitindo cortes de tributos. "Tudo que deixarmos de pagar em juros, vamos baixar impostos", declarou.

Alta de 4% do PIB e de 8% dos investimentos

A avaliação do ministro da Fazenda é de que a economia registrará crescimento da ordem de 4% em 2013, valor que está abaixo da proposta de orçamento federal para o ano que vem, que conta com uma previsão de alta de 4,5% para o PIB do ano que vem.

"Eu acho que 4% é um bom número para o próximo ano [previsão de alta do PIB]. A maior parte dos analistas está prevendo um crescimento de 3% a 4% em 2013. Fico contente que o mais pessimista prevê um crescimento de 3% para 2013", declarou ele.

No caso da taxa de investimentos do país, a previsão do Ministério da Fazenda é de uma queda de 2% neste ano e de um crescimento de 8% em 2013. Com isso, a previsão, para o fechamento de 2012, é de que a taxa de investimentos fique em 18,5% do PIB, avançando para 19,2% do PIB no fim de 2013.




Publicado em: 20/12/2012         Fonte: G1         Postado por: Equipe Essência Sobre a Forma

Voltar

 

beylikduzu escort
porno
porno
bodrum bayan escort