COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Elenito Elias da Costa

• Formado em contabilidade pela UNIFOR - Universidade de Fortaleza;
• Especialização em Auditoria pela UNIFOR - Universidade de Fortaleza;
• Pós-graduado em controladoria pela UNIFOR - Universidade de Fortaleza;
• Mestrado em Auditoria pela UNIFOR - Universidade de Fortaleza;
• Analista Econômico Financeiro pelo IBAMAC;
• Instrutor de curso no SEBRAE/CDL/CRC;
• Professor universitário, palestrante e avaliador do MEC;
• Autor de diversos artigos publicados no Brasil e exterior;
• Sócio da empresa Irmão Empreendimentos Contábeis Ltda;
• Autor dos livros Contabilidade - Coletânea de artigos e Contabilidade - Coletânea de artigos Vol. II
• Um dos autores do livro Transparência - Uma visão sistêmica da analise empresarial nos demonstrativos contábeis e financeiros da Editora Fortes.

 


Contador, uma profissão com futuro promissor

Por Elenito Elias da Costa

A profissão de contador tem recebido modificações qualitativas, que obviamente deságua na formação educacional desses profissionais que por sua vez exige um planejamento mais apurado das instituições educacionais e de seu corpo docente, todos comprometidos com a constante busca da qualidade desses profissionais, seja em formação ou quando egressos, pois a nossa responsabilidade deverá se inserir full time, desde a sua matrícula e não podemos vislumbrar um final

 

Introdução

Estamos diante de fatos que comprovadamente ratificam o status quo da profissão de contador, haja vista, que resquícios das crises, financeira, euro, e de volatilidade, oscilações, juros, mercado, transparência, controle interno adequação internacional, inovações tecnológicas tributárias, concorrência, globalização e demais fatos, nos induzem a refletir com maestria sobre a excelência dessa profissão.

Empresas de qualquer porte ou tamanho estão sentindo em suas vísceras as conseqüências dessas crises, e precisam rapidamente se aclimatar á essas variáveis e estas novas exigências do mercado, pois doravante quaisquer ações ou mesmo omissões terá seu preço refletido nos resultados, e o uso de qualquer pirotecnia se torna lúdica ou fantasiosa, pois o tempo é irreversível.

O ano de 2013 e os seguintes exigem das empresas ações decisórias que devem inibir gestões empresariais que utilizam ações atípicas, quando comparadas ao atual sistema de adequação de contabilidade internacional adicionado as inovações tecnológicas tributárias que estão afetas, isso nos leva a exigência de um profissional de contabilidade antenada com tais propriedades sapiens globalizadas.

É fato que a exigüidade do tempo nébula consideravelmente gestores despreparados, daí a importância da capacitação e qualificação dos profissionais de contabilidade, que em sua atividade laboral possam reduzir o fator risco que assola o patrimônio das empresas.

Lamento que diversas empresas possuam gestores que não tenham esse entendimento, assim como diversos profissionais não acreditaram nessas evoluções, mas devemos entender que o sistema vitima os incautos cobrando um preço elevado por seus sonhos e investimentos, fato esse, que podemos traduzir de modalidade inversa para aqueles que se capacitaram e se qualificaram para esse momento.

Um feeling mais acentuado me induz a escrever sobre a importância dessa profissão, haja vista, labutar na mesma há 35 anos e a lecionar disciplina a ela condizente.

Ressalto a importância da adequação internacional adotando os princípios da IFRS, US GAAP, IASB, FASB e demais, que redundou nos pronunciamentos do CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis) homologados pelo CFC (Conselho Federal de Contabilidade), não menos importante temos as inovações tecnológicas tributárias com o EFD (Escrituração Fiscal Digital), SPED (Serviço Público de Escrituração Digital), Notas Fiscais eletrônicas, Conhecimento de Transporte eletrônico, e Nota de Serviços eletrônica e demais atributos, onde todos esses eventos deságuam na transparência, controle interno, planejamento e diagnóstico empresarial.

É bem verdade que tais eventos exigem uma capacitação e qualificação hercúlea dos profissionais que labutam e desejam se profissionalizar, onde devem por sincronia racional do retorno desse investimento se acuidar na escolha da instituição educacional superior e principalmente conhecer o quadro docente, que deverá ter contato com o educando na busca de sua performance profissional, fazendo com que  mesmo realize o seu sonho e que detenha os recursos necessários para fazer a diferença qualitativa que  mercado  seletivo passa a exigir.

Devemos entender que a oportunidade oferecida pelo mercado, prescinde de características básicas e perfil profissional do candidato, quão mais recursos e conhecimentos técnico-específicos possuir maior será a probabilidade de sua escolha.       

Isso nos leva a refletir sobre a formação continuada que implica no retorno á academia, para procedimento de um up grade necessário, e a formação de link se perfaz na busca de sanar dúvidas que pairem sobre os fatos que se apresentam junto a animosidade com aqueles professores, pesquisadores, a estudiosos que escrevem artigos o que tenham livros publicados, ajudam a sanar dúvidas ou mesmo a reduzir os riscos que podem expor as empresas clientes a ônus indesejável.

 

Empresas

No universo das empresas no Brasil temos as que participam do Sistema do Simples (MEI, MICRO, EPP, e EIRELI), as ONGs, ONCIPS, as sociedades (empresárias, limitadas, anônimas, seja de capital aberto ou fechado, e demais) e similares, que optam pelo regime tributário de Lucro Presumido, Lucro Real e o Lucro Arbitrado, demonstrando sua importância para nossa economia.

A adequação dos princípios internacionais da contabilidade exige estratégias e ações decisórias que fluam para uma maior transparência, onde por sua vez passa pelo exímio controle interno antenado por uma planejamento salutar e flexível, onde poderá agregar as melhorias contínuas oriundas das avaliações e análises, inclusive nos demonstrativos contábeis e financeiros, realizado pela da contabilidade.

A globalização associada ás intempéries das economias, motivam os gestores empresariais a buscar no mercado profissional com perfil desejável, principalmente sabendo que o fisco com suas inovações tributárias tecnológicas que já mostrou suas garras dias atrás, quando informou o primeiro feed back dessas inovações, causando um dissabor incalculável junto ás camadas empresariais. 

Sabemos que fisco, está apostando todas as suas fichas na elaboração eficiente desse sistema que já demonstrou a fissura que existe no hiato entre empresas versus transparência, e na sua estrutura analítica básica tende a minorar a economia informal, e identificar focos de transgressão da legislação tributária resultantes dos indébitos fiscais mensurados.

Tudo isso nos leva a deduzir que as estratégias débeis e fúteis doutrora exercidas, devem pertencer a passado sob pena sofrer graves ônus pecuniários, e retorno a normalidade juntos aos gravames tributários, devem representar uma meta mais positiva, mesmo porque a busca da continuidade e estabilidade de qualquer sistema passa obrigatoriamente por esse estágio.

Empresas de qualquer porte ou tamanho, só sobreviverão se adentrar numa seara de maior transparência e de controle interno, onde o investimento deve ser aplicado em sincronia com os sinais eletivos de maior veracidade dos fatos dantes trabalhado, e mesmo com a utilização de pirotecnias um dia a verdade é chamada a compor sua sinfonia, demonstrando com isso o RISCO que o mesmo deverá possuir, independentemente da existência do ágio ou deságio em seu retorno.

Reconheço a excelência dos órgãos competentes que busca de diversas maneiras capacitarem os gestores, mas sabemos que esse processo denota um hiato temporal para seu retorno. 

Também devemos entender que aquelas estratégias torpes para se evadir do  impacto dos tributos devem ser revistas mediatamente, sob pena de adentrar em risco de ônus pecuniários.  

O mercado agindo assim demonstra e exara o momento em que estamos ultrapassando, e visa separar joio do trigo daquelas que adentram sem possuir os mínimos recursos para as suas mutações.

 

Profissionais

Com o mercado em ebulição, e altamente seletivo, haja vista os grandes investimentos que aqui estão se aportando, é sensato entender que tais investimentos depurem e acolham aqueles profissionais que detém perfil desejado para que possam ser admitidos.

O conhecimento do CPC, do sistema integrado de gestão, dessas inovações tecnológicas, como Nota Fiscal eletrônica, Conhecimento de Transporte eletrônico e Nota de Serviços eletrônica, que deságuam nos SPED – Fiscal, Contábil, Contribuição, Social, Folha, e seus derivativos como certificação, ponto eletrônico, desoneração da folha, banco de balanço, notificação eletrônica, diagnóstico empresarial, planejamento empresarial, e demais ações, devem representar uma qualidade necessária ao profissional, que pensa em seu labor.

O retorno a academia se faz necessário para sua atualização e aprendizagem prática desses recursos já que sabemos que o bom profissional tem vinculo umbilical com um bom estudante, mesmo porque, seus conhecimentos de informática, de legislação, de contabilidade internacional, outros idiomas, representam alguns dos fatores essenciais para a positividade de sua atividade, sem contar que sua performance que precisa ser alimentada paulatinamente.         

Inegável ressaltar que seus valores individuais hão de conceder uma postura profissional que poderão lhe notabilizar em contatos com seus clientes, pois sabemos da importância desses valores num processo decisório ou mesmo em qualquer situação.

Sabemos que a academia poderá lhe prover de recursos que deverão ser de grande valia em sua atividade, principalmente, quando adicionada com a positividade de seus valores individuais.

Devemos entender que a única característica constante em nossas vidas é a mudança, e a escolha de uma IES (Instituição de Ensino Superior), com esses valores, positivados por um corpo docente que tenham hábito de escrever artigos, livros e projetos, estará sempre apto a sanar suas dúvidas, conjuntamente.

Observamos que ao longo do tempo no tocante a contabilidade o sistema econômico está utilizando a globalização para minorar as economias informais passando a exigir a formalidade das atividades econômicas, nesse entendimento podemos refletir o futuro das empresas no cenário atual.

 

Risco     

Em decorrência dessa atualização na contabilidade, setor fiscal, setor pessoal e demais setores alinhados, risco de que a contabilidade societária sofra com tipificação de ERRO, DOLO e INCONSISTÊNCIA CONTÁBIL são verdadeiramente exeqüíveis, pois algumas empresas assim como alguns profissionais ainda padecem dessa atualização.

Os pronunciamentos oriundos do CPC homologados pelo CFC concedem ao sistema fiscalizatório, seja, federal, estadual, municipal, ambiental, previdenciário um risco que essas empresas e profissionais podem sofrer.

A inidoneidade na emissão de documentos, a ausência de licitude de fatos inseridos na contabilidade, o comprometimento de sincronia com os setores periféricos, expõem as empresas á ações fiscais.

Fatos como:

  1. Estouro da conta Caixa;
  2. Saldo credor da conta Banco c/Movimento;
  3. Estoques fictícios;
  4. Passivo fictício;
  5. Créditos fictícios;
  6. Ausência de provisionamentos;
  7. Ausência dos Ajustes;
  8. Ausência de controle de Custos e Despesas
  9. Ausência de controle do Ativo Fixo
  10. Ausência de controle do CPC
  11. Distribuição disfarçada de Lucros
  12. E demais fatos.

A falta de sincronia entre as obrigações tributárias, principalmente as acessórias, que poderá vitimar diversas empresas, quando a SRB (Secretaria da Receita do Brasil) aferir o SPED – Fiscal, Contábeis e Contribuições, com as DCTF’s (Declaração de Contribuição de Tributos Federais), DACON’s (Declaração de Apuração de Contribuição Social), e Declaração de Imposto de Renda Pessoa Jurídica.

Nós integrantes da classe que labuta em contabilidade, estamos nos esforçando ao máximo para atender essas novações, mas nos perguntamos diariamente, quando essas inovações reduziram as obrigações tributárias similares repetitivas e conseqüentes custos em nosso labor.

Essa resposta foi concedida pela a autoridade fiscalizatório, quando a mesma, informa que somente poderá subtrair quaisquer obrigações que oneram citados custos quando houver a assertiva da eficiência do sistema implantado, e isso denotará um determinado tempo.

Aquelas empresas que são obrigadas a apresentar obrigações acessórias de conformidade com sua atividade devem ter cautela quando for entregar o SPED, ou qualquer outra obrigação que possa ser aferida pelo sistema, pois o T.Rex com o software denominado de Harpia da SRB, fatalmente expedirá a notificação eletrônica com os respectivos DARF’s (Documento de Arrecadação de Tributos Federais) suplementares em caso de informações dicotômicas.

Caso a empresa apresente a sua contestação seja a nível administrativo ou mesmo judicial, saiba que poderá a autoridade tributária, emitir uma OS (Ordem de Serviço) para fiscalizar os cinco anos dessa empresa de que trata o regulamento, daí se faz necessária uma análise e avaliação mais depurada do fato.

Como alternativa temos os programas de parcelamento oferecido pelo governo, e a existência de precatórios adquiridos á termo, onde poderão lhe oferecer uma opção.

Recomendo que todos os AI’s (Auto de Infração) ou Notificações Eletrônicas devem ser contestadas, se houver prova documental da lisura do feito, mas essa ação dever ser analisada. 

A utilização de um Check List, ou de um questionário avaliativo, são recursos indispensáveis para manter a segurança da contabilidade e da gestão empresarial buscando com isso, reduzir os riscos.

Em qualquer situação os livros, sejam contábeis, fiscais, trabalhistas devem estar devidamente atualizados de conformidade com suas respectivas legislações.

Inclusive, o livro Diário, deverá ser rubricado também por autoridade judicial para que os mesmo se revista de formalidade legais, passível de aferição jurídica.

Devemos entender que ao se afirmar que o conhecimento é informação que se agrega ao “saber anterior” depreende-se que o conhecimento novo se acrescenta ao conhecimento existente, quer seja ele objetivo, resultado da análise, organização e transmissão da informação, quer seja o conhecimento subjetivo, que se reveste dos aspectos relacionados à experiência, ás crenças e aos valores de quem os detém.

Diante dessa afirmativa no parágrafo anterior, podemos ratificar que “conhecimento requer a aplicação da intuição e da sabedoria, próprios da pessoa, à informação” conforme nos ensina Davenport & Prusak (1998, .6), quando afirma:

“conhecimento é uma mistura fluída de experiência condensada, valores, informação contextual e insight experimentado, a qual proporciona uma estrutura para a avaliação e incorporação de novas experiências e informações.”

 

Igualmente ressalto a importância do seguro profissional para proteger esses profissionais, lembrando que o seguro só indeniza fatos onde a negligência, inépcia ou imperícia não esteja presente.

Empresas e profissionais deve entender que o sistema exige transparência e controle interno, fatores esses essenciais no ambiente empresarial.

 

Conclusão

No cenário econômico atual é puramente normal que empresas e gestores busquem no mercado profissional que tenha um perfil condizente com suas atuas necessidades mesmo porque o risco está presente em qualquer processo decisório, e deve ser mensurado, analisado e avaliado com toda a sua plenitude.

Estamos diante de um momento incomum, mas verossímil.

As exigências do profissional de contabilidade junto á seus clientes passarão obrigatoriamente por fatores avaliativos que deverão ser suportados na base de sua formação, inclusive, seus fatos depreciativos, também resultantes de sua base educacional devidamente escolhida.

O profissional deverá está qualificado e capacitado para atender a esse mercado que se apresenta e sua continuidade e sustentabilidade deverá está respaldada em sua formação básica e continuada onde reflete os recursos pedagógicos empreendidos pela IES, cujo corpo docente deverá está comprometido com a qualidade dos educandos elevados a profissionais que legitima a trilhar seu espaço.

Quando ressalto corpo docente, me refiro aquele comprometido com a atualização e a qualidade necessária na formação de um profissional globalizado, onde a mudança é somente uma constante no style professional.    

Em qualquer situação o risco deve ser mensurado na escolha da instituição para sua formação e que tenha um corpo docente que possa se fizer entender quer seja em sala de aula, nas mídias através de artigos, livros e projetos que  suplemente, pois a qualidade educacional é uma busca constante.

Quão mais presente a instituição através de seus professores estiver presente no labor dos educandos e sua formação, maior fidelização concreta alcançará no seio desses profissionais.

Devemos entender que o risco está para o profissional, assim como a qualidade está para a instituição, nesse sentido podemos entender que o ágio do investimento aplicado na sua formação alcança números inestimáveis, pois dele resultará dentre outros retornos a sua satisfação e sua felicidade profissional.

Sabemos que o mercado está bastante seletivo, assim como as empresas também, e conhecendo nossas limitações devemos entender que muito temos ainda a aprender.

O procedimento inicial de Diagnóstico Profissional poderá nos ajudar a identificar os pontos fracos e fortes, e diante desses eventos devemos traçar um planejamento estratégico, incorporando as melhorias contínuas derivativas que possam agregar valor e nos aproximar de nosso objetivo.

Dizia Sun Tzu que:

Conhecer-se a si, aos demais envolvidos e o terreno onde acontecerá o contato permite criar estratégias que podem ser bem sucedidas.

Decorrido a adequação internacional na contabilidade brasileira e assimilado as inovações tecnológica tributária, estará o profissional de contabilidade a trilhar a sua gestão do conhecimento focado em sua formação, gestores e sociedade passarão a exigir uma análise mais qualitativa resultando num relatório circunstancial que deverá agregar valor ao resultado positivo planejado.

Nesse momento estaremos identificando os fatores que hão de conceder a sustentabilidade e continuidade desses profissionais.   

O esforço e o investimento em nossa capacitação e qualificação se tornam constante se analisarmos que as mutações são comuns no mundo globalizado, e devemos nos preparar para a adaptação que possam nos induzir a flexibilidade desse mercado.   

E bem verdade que o momento é no mínimo atípico haja vista as diversas variáveis envolvidas, mas devemos entender que o fisco não irá retroceder diante dos números atuais da economia brasileira, isso nos remete a uma reflexão de que a reforma tributária sonhada se tornou matéria para um futuro distante e que esperar qualquer renuncia fiscal, redundará numa ação compensatória, deixando empresas e profissionais numa situação que exige flexibilidade, criatividade, habilidade e atitude para a sustentabilidade e continuidade de suas atividades.

O mundo está se movimentado e as necessidades das empresas tem foco globalizado, assim como sua fragilidade fica exposta ás variáveis intrínsecas e extrínsecas, podendo exaurir investimentos, sonhos e fantasias, se não forem profissionalmente assistidas, e isso na tem preço, tem conseqüência.  

Entendo que o referido artigo é embrionário e merecem adendos de quem assim o desejar, mas a audácia de tratar o seu tema me dá a certeza que a diferença qualidade que a educação necessita na formação de profissionais passa obrigatoriamente por um corpo docente, antenado com essa evidência.

Peço desculpas aqueles que se sentiram atingidos pela limitação das expressões, mas no momento a qualidade é fundamental, para manter sob controle as oscilações e volatilidade desses investimentos.

 

Bibliografia

  1. Da Costa, Elenito Elias, Contabilidade Coletânea de Artigos, No.1, Editora Fortes;
  1. Da Costa, Elenito Elias, Contabilidade Coletânea de Artigos, No.2, Editora Fortes;
  1. Transparência, Da Costa, Elenito Elias e demais, Editora Fortes;

A Arte da Guerra, Sun Tzu. Ed. Atlas

Postado dia 10/11/2012 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Check list para empresas pequenas e do sistema do SIMPLES - 08/11/2015

Nunca é Tarde para Fazer uma Contabilidade Certa - 24/05/2015

A Gestão de Recursos Humanos, o Custo Brasil e a Estabilidade Econômica - 06/05/2015

Há Algo de Podre na República Federativa - 02/05/2015

Dia do Contabilista, dia 25 de abril - 21/04/2015

A Incompreensível Ausência da Transparência Contábil - 19/01/2015

Apocalipse das empresas do SIMPLES - 11/01/2015

A Perícia Contábil no Contexto da Tranparência Global - 21/10/2014

Contador e Administrador uma Constante Busca para Alcançar a Sustentabilidade - 29/09/2014

Assessorias, Contábil e Jurídica, Minimizam Risco do Seu Empreendimento - 28/08/2014

Cuidado com sua Contabilidade e sua Gestão Empresarial - 24/08/2014

BRASIL CONNECTION - 23/06/2014

A Contabilidade, a Lei Ante Corrupção e a Teoria de Thomas Piketty - 27/05/2014

Brasil do futuro só com o progresso dos trabalhadores - 08/03/2014

Administração e Contabilidade - Irmãs Siamêsas - 14/02/2014

Quando estudantes e profissionais se tornam marionetes - 28/11/2013

Sonegação Fiscal - Um fato lesivo ou uma justificativa, eis a questão - 13/11/2013

Uma ação reflexiva sobre empresas e profissionais - 21/10/2013

Empresa do SIMPLES NACIONAL - 27/09/2013

Contabilidade - Solução para o Mundo - 15/09/2013

Mais um dia da In...dependência do Brasil - 07/09/2013

Valores, princípios e conhecimentos são fatores essenciais na qualidade, sustentabilidade e continuidade de qualquer empreendimento - 31/05/2013

Contabilidade e a vida - 31/03/2013

Assessoria Contábil no Cenário Globalizado - 13/03/2013

Monografia ou artigo, eis a questão - 23/02/2013

Momento situacionista do seu processo decisório - 01/01/2013

Contador, uma profissão com futuro promissor - 10/11/2012

Perfil desejável de um curso de bacharelado em ciências contábeis - 06/10/2012

Sincronia racional da contabilidade - 11/09/2012

Contabilidade para usuários externos - 02/09/2012

Delicado momento do Sistema (Fênix) - 08/08/2012

Qualidade gera sustentabilidade e continuidade - 24/07/2012

Reciclagem para professores de contabilidade - 12/07/2012

Contabilidade tributária nas empresas - 03/07/2012

Contabilidade, o melhor instrumento contra a corrupção - 29/06/2012


Comentários:


Clique aqui para comentar este artigo


ELENITO ELIAS DA COSTA

CONTADOR, PROF. UNIVERSITÁRIO
FORTALEZA - CE
Membro desde: 20/06/2012
O artigo acima é recomendado para profissionais e empresas que se identificam com os fatos citados, e principalmente para os educandos que estão se profissionalizando, inclusive para os professores que devem trabalhar em sala de aula de graduação e pós-graduação os RISCOS e SOLUÇÕES desses fatos.
Devemos entender que a presença da inepcia, negligência ou imperícia no entendimento dos fatos elencados do referido artigo, podem originar caos indesejável.



Dia 22/11/2012 às 09:23:11

Visitantes: 2333