COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Ahmed Sameer El Khatib

• Bacharel em Ciências Contábeis pela FEA-USP (2007).
• MBA em Finanças pela FIA (2009).
• MBA em IFRS pela FIPECAFI (2013).
• Mestre em Ciências Contábeis e Atuariais pela PUC-SP (2013).
• Atualmente é Doutorando em Administração de Empresas na PUC-SP.
• Possui mais de dez anos de experiência na área contábil.

 


Aplicabilidade do IFRS 1 – First-time Adoption of International Financial Reporting Standards

Por Ahmed Sameer El Khatib

Quando aplicar a IFRS 1?

A IFRS 1 é aplicada quando uma Entidade prepara suas primeiras Demonstrações Financeiras segundo as Normas Internacionais de Contabilidade emanadas pelo IASB. Essas são as primeiras Demonstrações Financeiras que apresentam uma declaração explícita e sem reservas de conformidade com o IFRS. A maioria das empresas aplicará a IFRS 1 quando da alteração dos Princípios Contábeis Geralmente Aceitos (GAAP) que originalmente utilizam para elaborar suas Demonstrações Financeiras (“GAAP anterior”) para o IFRS.

Por exemplo, a IFRS 1 deve ser aplicada quando o relatório financeiro anteriormente elaborado por uma empresa:

Quando não aplicar a IFRS 1?

A IFRS 1 não deve ser aplicada no caso de uma empresa ter emitido anteriormente demonstrações financeiras que continham uma declaração explícita e sem reservas de conformidade com o IFRS. A norma também não pode ser aplicada quando uma empresa preparou, no passado, demonstrações financeiras que incluíam uma declaração explícita e sem reservas de conformidade com o IFRS e:

Princípios Básicos da IFRS 1

Os princípios básicos da IFRS 1 exigem que uma empresa aplique todas as normas do IFRS e suas demonstrações financeiras. No seu Balanço Patrimonial de abertura segundo o IFRS, a empresa deve:

Há exceções a esses princípios gerais quando uma das isenções opcionais ou exceções obrigatórias exige ou permite reconhecimento, classificação e/ou mensuração de acordo com outras normas que não sejam IFRS.

Os ajustes decorrentes da aplicação do IFRS pela primeira vez são registrados em uma conta de reserva de lucros, ou numa outra categoria do patrimônio, no balanço patrimonial de abertura elaborado de acordo com IFRS. Por exemplo:

Nos próximos artigos, trataremos sobre aspectos de consolidação de todas as entidades controladas, IFRS, inclusive, que passará por mudanças em 2012,  ajustes comuns de BR GAAP para IFRS, Balanço Patrimonial de abertura, dentre outros assuntos de extrema importância, considerando a aplicabilidade da IFRS 1.

Postado dia 21/10/2012 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Comentários:


Clique aqui para comentar este artigo


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Professor Ahmed,

Excelente artigo, parabéns!
Agradecemos por compartilhar seu conhecimento no Portal Essência Sobre a Forma e aguardamos ansiosamente os próximos artigos.


Dia 27/10/2012 às 12:00:23


Maria de Nasare dos Santos Ribeiro

Contadora
Teresina - PI
Membro desde: 27/08/2012
Gostei muito deste artigo. Fico aguardando ansiosa os prometidos pelo autor como: ajustes comuns de BR GAAP para IFRS e Balanço de Abertura.


Dia 22/10/2012 às 00:21:57

Visitantes: 4878


beylikduzu escort
porno
porno