COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Geuma Nascimento

• Mestrado em Contabilidade pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP - SP;
• MBA em Gestão Empresarial pela Trevisan Escola de Negócios;
• Bacharel em Ciências Contábeis pela Associação Tibiriçá de Educação;
• Professora universitária das disciplinas de Contabilidade de Custos e Análise de Custos, Teoria da Contabilidade, Contabilidade Geral, Tributária, Intermediária, Avançada e Gerencial;
• Membro do Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil;
• Especialista em Business Process Outsourcing (BPO), com vivência prática ao longo dos últimos 12 anos em empresas nacionais e internacionais de diversos segmentos e tamanhos;
• Sócia da TG&C - Trevisan Gestão e Consultoria e da Efycaz Trevisan – Aprendizagem em educação continuada;
• Carreira profissional desenvolvida em pequenas, médias e grandes empresas, dentro das diversas áreas administrativas e financeiras, com ênfase em contabilidade, tributos, custos, processos operacionais e sistêmicos e em qualidade;
• Gestora da implantação de custos ABC na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo;
• Participa de Conselhos Fiscais de expressivas empresas;
• Atua como palestrante;
• Autora do livro SPED sem Armadilhas;

 


Empresas Optantes do Simples Nacional na mira da fiscalização da Receita Federal – Atenção ao Prazo de 20.04.2016

Por Geuma Nascimento

 

Onde estão os contadores destas empresas?

Onde está a gestão tributária destas empresas?

Anualmente, desde 2013 a Secretaria da Receita Federal - SRF elabora agenda e divulga o programa de Autorregularização para os Optantes do Simples Nacional.  

Segundo a SRF, foram identificadas inconsistências em quase 19 mil declarações do Simples, relativas aos valores oferecidos à tributação e registros em documentos fiscais emitidos por esses próprios contribuintes (NFe).

A RFB, em conjunto com os Estados, enviou comunicado para autorregularização, sendo que o referido comunicado ficará disponível no portal do Simples Nacional (http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/) somente até o dia 20/04/2016.

Somente para o ano de 2016, foi identificado e divulgado no “Alerta”, para as empresas optantes do Simples Nacional, indícios decorrentes da diferença entre a Receita Bruta declarada e o total das Notas Fiscais emitidas. O montante apurado dessa equação em termos globais atinge R$ 10 bilhões.

A SRF se aprofunda um pouco mais e gera expectativa real de arrecadação oriunda deste programa, considerando-se uma alíquota média de 4%, são pelo menos R$ 400 milhões de tributos que deixaram de ser declarados e que precisam fluir para os cofres da Receita Federal.

A SRF alerta que o programa de autorregularização para o contribuinte do Simples Nacional é importante para o governo, mas principalmente para que essas empresas se mantenham no regime de pagamento de tributos com renúncia fiscal, qual seja, a opção pelo Simples Nacional.

Se estas empresas optarem por não se regularizarem, poderão ser objeto de procedimentos de fiscalizações executados pela RFB, Estados ou Municípios, além de ser excluídas desse regime, recaindo assim uma tributação maior sobre seus negócios.

O ambiente de negócios necessita invariavelmente de credibilidade instantânea e no momento de prestar contas a terceiros. Acredito fortemente que pelo menos nossa contabilidade, apesar dos diversos pontos negativos acerca de temas explícitos de fraudes e corrupção dentro de empresas e governo, está no caminho certo, cada vez mais tomando musculatura de uma ciência que vai muito além de meros registros de números.

Volto meus pensamentos e defesas sobre a contabilidade, como uma ciência intrínseca à antropologia. Não se aplica contabilidade nas empresas, no governo e em nossas vidas, “sem entender aspectos humanos essenciais relacionados a comportamentos e atitudes. Reunir e usar todos os conhecimentos acerca dos negócios é compreender o caráter abrangente e sistemático de tudo que nos cerca. O trabalho com esta ênfase permite incluir a contabilidade no seu contexto social de responsabilidade dentro de uma sociedade e não apenas no âmbito da empresa.”

O nosso ambiente de negócio tão fragilizado nos tempos atuais, necessitam de mais contabilidade com este conceito alargado e profundo à essência do ser humano.

O relatório divulgado copiosamente pelo governo, ano após ano, só reforça a tese de que os empreendedores precisam injetar fortemente mais musculatura contábil e gestão tributária nos seus negócios.

 

Postado dia 28/03/2016 - Fonte: Essência Sobre a Forma

Visitantes: 2474