COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Sérgio Lopes

• Mestre e graduado em Administração.
• Experiência profissional de 45 anos adquirida em empresas de diferentes portes e segmentos econômicos.
• Nos últimos 27 anos tem atuado ativamente como Consultor Empresarial
• Docente em cursos de Graduação e de Pós-Graduação em IES
• Instrutor em Cursos de Educação Corporativa, lecionando em diversos Estados do País.
• Atua, também, como Palestrante e possui diversos artigos publicados, em jornais, revistas e sites da Internet.
• Participa de projetos de voluntariado junto a Entidades de Classe.

 


Dez dicas para pesquisa de clima organizacional

Por Sérgio Lopes

 

Com o objetivo de contribuir para a expansão e consolidação da Pesquisa de Clima Organizacional como um efetivo instrumento de gestão de pessoas, além de ser uma excelente forma de colher subsídios para o planejamento estratégico da área de Recursos Humanos, estou divulgando abaixo as “Dez dicas para uma Pesquisa de Clima Organizacional” que considero fundamentais para o SUCESSO da aplicação deste valioso instrumento em qualquer Organização.

Conceitualmente, podemos dizer que “Pesquisa de Clima Organizacional” é uma pesquisa interna periódica realizada pela Área de Recursos Humanos que abrange todos dos colaboradores visando conhecer o grau de satisfação (ou insatisfação) destes com a Organização e com a cultura vigente, enquanto que podemos alinhar o entendimento de “Clima Organizacional” como sendo o ambiente interno formado pela atmosfera psicológica resultante da cultura organizacional e que é percebido de maneiras diferentes por indivíduos diferentes.

No nosso entendimento, para que uma Pesquisa de Clima Organizacional tenha realmente Sucesso e atinja seus objetivos, deve atender as condições a seguir apresentadas:

1. Divulgue antecipada e didaticamente a realização da pesquisa a fim de quebrar resistências e desmistificar o processo.

2. Prometa o sigilo absoluto e cumpra a promessa.

3. Elabore as questões na linguagem de seus colaboradores para facilitar o entendimento.

4. Se você optar pela participação livre, estimule esta participação com algum tipo de brinde de agradecimento.

5. Elabore um cronograma para todas as etapas e cumpra.

6. Divulgue os resultados globais para toda a empresa de forma transparente.

7. Abuse da variedade de formas de respostas para não cansar o respondente e ele não se limitar a um só tipo de pensamento do tipo “sim” ou “não”.

8. Na montagem do questionário leve em consideração o “DNA” da empresa, sua cultura interna e o modelo de gestão.

9. Se possível, contrate uma consultoria externa para garantir a neutralidade do processo.

10. Destrua os questionários recebidos com as respostas para não cair em tentação de rastrear alguma resposta depois de encerrado o processo.

Ressaltamos que os resultados da Pesquisa de Clima Organizacional devem ser utilizados pelo RH para PLANEJAR PROGRAMAS E PROJETOS de INTERVENÇÃO no “modus operandi” da Organização com o OBJETIVO DE MODIFICAR o grau de (in) satisfação identificado, de forma a eliminar ou mitigar, se a eliminação não for possível, as insatisfações e fortalecer e ampliar os motivos das satisfações.

Por fim, lembramos que geralmente os resultados da Pesquisa de Clima Organizacional subsidiam PROJETOS DE MUDANÇAS que abrangem: Remuneração, Capacitação, Recompensas, Treinamentos, Contratações, Progressões, Benefícios, Segurança, Higiene, Estrutura, Comunicações Internas e, principalmente, COMPORTAMENTOS E ATITUDES

 

Postado dia 11/01/2016 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Gestão da mudança: os segredos do sucesso - 17/01/2016

Dez dicas para pesquisa de clima organizacional - 11/01/2016

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte III - 06/01/2015

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte II - 27/10/2014

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte I - 13/09/2014

Com que roupa que eu vou? - 21/07/2014

Alô RH, o ESOCIAL foi adiado (mais uma vez). E agora? - 06/06/2014

Algumas Considerações Sobre Controles e Indicadores de Desempenho em Empresas Contábeis - 22/05/2014

Parceiros, parceiros, negócios que se complementam - 06/01/2014

Onde estão os meus clientes? - 20/11/2013

Alô RH, o ESOCIAL chegou. e agora? - 15/09/2013

Custos Invisíveis: Como Conhecê-los, Como combatê-los e Melhorar o Lucro de Sua Empresa - 07/08/2013

Roteiro Sugerido para Reuniões com Prospectos: 10 passos que poderão ajuda-lo a fechar um bom negócio. - 02/07/2013

O SPED e o Limão: Ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos – Parte 3 – Final - 20/05/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 2 - 02/04/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 1 - 25/02/2013

Comprometimento: uma via de mão dupla - 13/02/2013

A gestão da remuneração como instrumento de atração, retenção e valorização das pessoas pelas organizações - 03/02/2013

Como promover mudanças organizacionais bem sucedidas - 23/01/2013

Visitantes: 779