COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Tom Coelho

• Formado em Publicidade pela ESPM;
• Formado em Economia pela USP;
• Especialização em Marketing e em Qualidade de Vida no Trabalho;
• Mestre em Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente;
• Foi executivo, empresário, secretário geral do IQB/ INMETRO;
• Foi diretor do Simb/Abrinq e VP da AAPSA;
• Atualmente é professor em cursos de pós-graduação;
Conferencista e escritor com artigos publicados por mais de 800 veículos da mídia em 17 países, além de diretor da Lyrix Desenvolvimento Humano e do NJE/CIESP;
• É autor dos livros “Somos Maus Amantes – Reflexões sobre carreira, liderança e comportamento”, “Sete Vidas – Lições para construir seu equilíbrio pessoal e profissional” e coautor de outras cinco obras. Site: www.tomcoelho.com.br e www.setevidas.com.br.

 


Um roteiro para a excelência na educação

Por Tom Coelho

 

 “Um professor não educa indivíduos.

Ele educa uma espécie.”

(Georg C. Litchtenberg)

 

 

Mais do que consensual, é estatística a defasagem da qualidade de ensino em nosso país quando comparado a outras nações participantes do Pisa, o Programa Internacional de Avaliação de Alunos, exame de aprendizagem organizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

O Brasil fez uma opção pela quantidade em detrimento da qualidade, com o intuito de erradicar o analfabetismo formal, colhendo como consequência um crescente analfabetismo funcional. Assim, a baixa qualificação profissional e seu impacto na produtividade do trabalho reduzem a competitividade de nosso país, levando-nos a um crescimento econômico pífio e à persistência das desigualdades sociais.

Diante deste contexto, como alcançar a excelência na educação? Alguns aspectos básicos que devem ser observados:

1. Professor. É necessário qualificar e remunerar adequadamente o docente, possibilitando e estimulando a dedicação em tempo integral. A valorização financeira do magistério é essencial para reter os melhores talentos. Os ganhos devem crescer de acordo com o desempenho dos alunos, a assiduidade do professor às aulas e sua avaliação periódica em provas docentes. O instrutor precisa aprender didática, saber transmitir conhecimento e ensinar para transformar.

2. Aluno. Os estudantes devem ser submetidos a exames auditivo e oftalmológico para identificar previamente deficiências que possam comprometer o aprendizado. Precisam ser estimulados para desenvolver interesse pela escola, reduzindo a evasão.

3. Pais. A educação não pode ser simplesmente delegada à escola. Os pais precisam se envolver, participando de reuniões, tarefas escolares, atividades extracurriculares. Também devem impor limites aos filhos e educar pelo exemplo – o pai que bebe com os amigos para se socializar e a mãe que toma remédio para relaxar influenciam seus filhos diretamente.

4. Estrutura curricular. Deve ser diversificada para aumentar a atratividade aos alunos, priorizando o autoconhecimento para identificação e fortalecimento de talentos e o desenvolvimento de competências não cognitivas. O sistema educacional não pode continuar estruturado exclusivamente para preparar alunos para exames vestibulares. Ou se insere o pragmatismo, ou a escola continuará sendo percebida como um fardo em virtude do conteúdo programático definido pela atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

5. Aulas. A monotonia é um convite ao desperdício de tempo. Enquanto o professor escreve na lousa, a desatenção e a indisciplina acolhem os alunos. As metodologias devem privilegiar a participação ativa do aluno e as atividades em grupo.

6. Infraestrutura. O ambiente deve ser acolhedor para aumentar o interesse do aluno e elevar o índice de frequência. A acessibilidade arquitetônica a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida em salas, corredores, auditórios e banheiros precisa ser considerada. A tecnologia tem que ser inserida em sala de aula, como instrumento de ensino e socialização, contemplando a realidade das novas gerações, em contato desde cedo com equipamentos eletrônicos. A questão é saber quando, para que e o que fazer com a tecnologia.

7. Gestão escolar. Aperfeiçoar os sistemas de gestão, elevando a autonomia, integrando instituições e investindo na qualificação do diretor.

Há certamente outros fatores preponderantes, em especial as políticas públicas que devem amenizar o impacto da condição socioeconômica dos pais no desenvolvimento cognitivo e emocional dos filhos, não se limitando apenas à ampliação do número de vagas em creches e pré-escolas. Mas isso é assunto para ser tratado em outro artigo.

 

Postado dia 06/05/2015 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Gestão com empatia - 07/10/2017

Síndrome de planejamento - 28/10/2015

Geração sem-sem - 08/10/2015

O filho e o pai - 09/08/2015

Feliz 2018! - 29/07/2015

Ensaio sobre a amizade - 19/07/2015

Prazer e obrigação - 22/06/2015

Corrupção padrão Fifa - 10/06/2015

Engajamento e retenção - 03/06/2015

Gestão empresarial em tempos de crise - 26/05/2015

A farsa do Facebook - 23/05/2015

Os deveres do poder público - 13/05/2015

Um roteiro para a excelência na educação - 06/05/2015

Como perder clientes - 04/05/2015

Teimosia empreendedora - 27/04/2015

Qual é o seu problema? - 23/04/2015

Promoção e poder - 21/07/2014

A Lei de Felipe - 19/06/2014

Copa sem paixão - 15/06/2014

A volta da inflação - 18/04/2014

Custo, Tempo e Qualidade - 17/01/2014

Teimosia empreendedora - 22/11/2013

Um sentido para a vida - 15/09/2013

O Brasil público que dá certo - 27/07/2013

Quatro Pilares para o Sucesso - 05/07/2013

O fim do pão e circo - 29/06/2013

O clichê, o básico e o simples - 31/05/2013

Cliente, este intruso - 25/05/2013

Portas abertas - 05/05/2013

Cinco passos para uma meta - 14/04/2013

Regras de ouro para administrar o tempo e viver melhor - 18/03/2013

Estabilidade ou promiscuidade na carreira? - 02/03/2013

A chave da boa educação - 31/01/2013

Autenticidade na responsabilidade social - 20/01/2013

Ser e estar - 17/12/2012

O mal da mediocridade - 01/12/2012

Atitude - 25/11/2012

Metas, realizações e resultados - 04/11/2012

Ensinando a ousar - 27/10/2012

Iniciativa, hesitação e acabativa - 20/10/2012

A ética do resultado - 05/10/2012

Começando pelo quintal - 22/09/2012

Mudança e tolerância - 11/09/2012

Associativismo de resultados - 02/09/2012

Liderança questionada - 18/08/2012

Ingredientes para o sucesso 10 tópicos essenciais para o êxito nas corporações - 08/08/2012

Neocompetência: Uma nova abordagem para o sucesso profissional - 24/07/2012

No limiar da inovação - 12/07/2012

Liderança e poder - 11/07/2012

Inovar para crescer - 06/07/2012

O novo profissional de Contabilidade - 26/06/2012

Visitantes: 1736


beylikduzu escort
porno
porno