COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Vagner Jaime Rodrigues

• Mestre em Contabilidade pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP;
• Pós-Graduação em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas - FGV-SP;
• MBA em Gestão Empresarial pela Trevisan Escola de Negócios;
• Especialização em Controladoria pela Trevisan Escola de Negócios;
• Especialização em Finanças pela Fundação Armando Álvares Penteado FAAP;
• Possui graduação em Administração e em Ciências Econômicas pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul;
• Professor universitário das disciplinas de Contabilidade de Custos e Análise de Custos, Teoria da Contabilidade, Contabilidade Introdutória, Contabilidade Tributária, Estruturação das Demonstrações Contábeis, Planejamento Financeiro e Orçamentário;
• Especialista em Business Process Outsourcing (BPO), com vivência prática ao longo dos últimos 16 anos em empresas nacionais e internacionais de diversos segmentos e tamanhos;
• Também atua como palestrante;
• Atualmente é Sócio do Grupo TG&C - Trevisan Gestão e Consultoria;

 


A Importância da Informação Contábil

Por Vagner Jaime Rodrigues

 

Muito se fala sobre as fraudes ocorridas na Petrobrás, sobre o grande volume de propinas extraído da maior empresa nacional, muito se critica a atitude dos diretores envolvidos, e pouco se fala sobre os sistemas de controle e contábil dessa organização. Será que o problema estaria nestes sistemas?

Evidente que críticas ao sistema de controle interno da Petrobrás são oportunos, afinal não se pode admitir que uma empresa do tamanho e importância da Petrobrás não tenha detectado as ações criminosas que seus gestores praticaram nestes últimos anos. Com certeza, se tivessem dado a devida atenção ao sistema de controles internos, isso tudo seria evitado.

O que faltou foi esta atenção por parte dos gestores, em todos os níveis e esferas. Quero acreditar que o problema tenha sido a falta de ética e não falta de um controle eficiente, uma vez que as investigações hoje recaem somente sobre os profissionais gestores, e não sobre os responsáveis pelo sistema de controle interno. Dessa forma, é evidente que o problema foi pessoal e não sistêmico ou de processo.

Outro ponto que também não se discute é a qualidade dos dados contábeis. Afinal, não se pode acreditar que o sistema contábil, com suas regras e normas, muitas a nível internacional, ainda apresente pontos que possam levar a uma informação contábil não confiável. Aqui também se confirma que o problema foi mais de falta de ética dos gestores do que propriamente de falha nas normas contábeis que interpretam, mensuram e evidenciam os atos econômicos e financeiros praticados pela organização.

Devemos considerar que as práticas contábeis aplicadas hoje no Brasil já foram excessivamente testadas e validadas pelas inúmeras corporações, de todos os tamanhos, a nível internacional. Portanto, não se pode acreditar que essas práticas não tenham um nível satisfatório de excelência na geração e divulgação dos dados apresentados pelas demonstrações financeiras.

Mesmo com toda essa certeza em relação ao sistema contábil é sempre importante repensar as bases para ter uma contabilidade excelente a ponto de divulgar informações precisas, atuais e de fácil entendimento para que os usuários destas informações possam não só tomar decisões de qualidade, mas principalmente dar condições para que os gestores exerçam suas atividades com responsabilidade e confiança.

Proponho aos empresários e gestores que façam uma autoanálise, respondendo as questões abaixo:

- Os profissionais responsáveis pela contabilidade exercem suas funções com total independência em relação à instituição?

- Você, empresário, já procurou conhecer melhor o passado profissional e pessoal dos profissionais da sua contabilidade? Conhecer o nível ético dos mesmos?

- Os profissionais da área contábil entendem e conhecem com profundidade o negócio e mercado de atuação da organização?

- Os profissionais contábeis estão comprometidos e alinhados com a missão, visão e valores da empresa?

- Esses profissionais buscam de forma pessoal e constante atualizar-se em relação à qualificação técnica e comportamental que a função exige? Quanto foi investido pela empresa junto a esses profissionais na busca de qualificação?

- O responsável pela contabilidade, o Contador, participa ativamente na definição dos planos estratégicos da empresa? Ele é ouvido?

- A rotatividade dos profissionais da área contábil é grande? Está acima da média da empresa?

- O contador participa efetivamente na definição e implantação do sistema de controle interno?

- Qual a qualidade dos dados contábeis na sua visão de gestor? Os dados são precisos? São atualizados? São divulgados a tempo de se tomar decisões corretivas? De que forma são divulgados? Há uma formalidade para divulgação destes dados? Isto é feito em reunião de diretoria?

- Qual sua visão sobre a importância que a contabilidade tem na geração de informações para que você possa exercer com qualidade suas funções de gestor?

Avalie com cuidado e carinho suas respostas: elas podem lhe mostrar uma situação preocupante. Talvez seja melhor buscar ajuda externa para evitar que situações como as da Petrobrás ocorram na sua empresa.

 

Postado dia 06/05/2015 - Fonte: Essência Sobre a Forma

Visitantes: 1181