COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Rodrigo Rossetti Lopes

• Bacharel em Administração de Sistemas de Informação - Centro Universitário Ibero Americano;

• MBA, Executive Business Administration - Insper Business School;

• ITIL® Foundation in IT Service Management - ITILF -
Licença da certificação 5268403.20361852

• Information Security Management - ISFS - (ISO/IEC27002)
Licença da certificação 5276273.20365240

• IT Service Management. - ITSM20F - (ISO/IEC20000)
Licença da certificação 5276273.20366991

• Green IT Citizen - GRITC -
Licença da certificação 5276273.20370792

• Cloud Computing in IT Management - CLOUDF
Licença da certificação 5276273.20377965

• Certificated Integrator in Secure Cloud Services - CI-SCS
Licença da certificação 5276273.20377964

• Member Participant Project Management Institute
Licença 1103183

• EMPRETEC
ONU / Sebrae

 


Vantagem Competitiva e Foco Estratégico - Análise SWOT

Por Rodrigo Rossetti Lopes

 

A vantagem competitiva envolve comunicar um maior valor percebido para um mercado-alvo em relação ao que seus concorrentes podem oferecer. Existem diversos caminhos para se alcançar esta condição, incluindo a oferta de um produto ou serviço com diferencial de melhor qualidade, conceber uma cadeia produtiva com diferencial de baixo custo e consequente possibilidade de praticar baixos preços de venda ou ainda um diferencial no formato dos esforços relacionados a divulgação e marketing da empresa. Estes são apenas alguns exemplos e a definição da prática de uma ou mais destes pontos estará ligada diretamente ao Planejamento Estratégico que cada empresa pretende possuir.

Vantagem competitiva sustentável refere-se a manutenção de uma posição favorável contribuindo com seu foco estratégico, a longo prazo, o que pode ajudar a impulsionar a imagem da empresa no mercado, a sua valorização e seu potencial de ganhos futuros.

A vantagem competitiva é a posição favorável que uma organização procura, a fim de ser mais rentável do que os seus concorrentes.

Para tornar tangível este contexto, buscamos técnicas e ferramentas que apoiam o mapeamento destas atuais condições, tanto internas quanto externas da empresa. A Análise SWOT é uma das ferramentas mais eficazes na análise dos dados e informações para o desenvolvimento da vantagem competitiva.

Entre outros benefícios da Análise SWOT, alguns tornaram-se de simples percepção e alto valor para a técnica: simplicidade, baixo custo, flexibilidade de integração e colaboração.

Os elementos da análise SWOT

Forças e fraquezas do alvo da análise:

Oportunidades e ameaças do alvo da análise:

Planejamento estratégico orientado à análise SWOT

Fazendo análise SWOT produtiva

Se você usa a análise SWOT de forma correta e inteligente, ela pode ser um mecanismo viável para o desenvolvimento do plano de marketing, mas se não feito corretamente pode ser uma grande perda de tempo.

Boas práticas para a análise SWOT mais produtiva e útil

Permanecer centrado

Na maioria das empresas, deverá haver uma série de análises, cada uma focando uma combinação específica de produto/mercado. A única vez que uma análise SWOT “single” seria apropriada é quando uma organização tem apenas uma combinação de produto/mercado.

Pesquisar extensivamente os concorrentes

A empresa deve prestar atenção em eventuais substitutos diretos atuais ou potenciais para seu produto. Até as gigantes da indústria podem perder de vista de seus potenciais concorrentes concentrando-se exclusivamente na concorrência usual.

É importante estimular e acompanhar a evolução da colaboração entre as áreas funcionais como
gerentes de vendas, publicidade, pesquisa e desenvolvimento, finanças, atendimento ao cliente, controle de estoque, controle de qualidade e demais áreas devem perseverar na compreensão da percepção do mercado sobre as fraqueza da empresa, oportunidades e ameaças.

Além disso, o pesquisador deve mostrar o sucesso da introdução de um novo produto/serviço, especialmente quando este é radicalmente novo. A condição de ser novo mostra alta dependência da capacidade das áreas funcionais colaborarem e integrarem suas diferentes perspectivas.

Analisar a questão da perspectiva dos clientes

Na fase inicial da análise SWOT, é importante identificar a questão exaustivamente. Para fazer isso, o gerente deve constantemente fazer pergunta como estas: O que os clientes (e não clientes) acreditam sobre nós como uma empresa? O que acha que os clientes (e não clientes) da nossa qualidade de produto, atendimento ao cliente... ,em comparação com nossos concorrentes? Quais são nossas fraquezas que se traduzem em capacidade para atender aos clientes? Como direcionar as tendências aos clientes do ambiente externo (e não clientes)? Qual é a importância relativa destas questões, não como nós os vemos, mas como clientes nos veem?

Examinar questões dos clientes inclui clientes internos e seus funcionários, os quais também são uma fonte valiosa de informações sobre a força, fraqueza e ameaça que a gestão tende nunca considerar.

Procurar causas, não características. As características fornecem um nível de detalhe que costuma ser muito descritivo, mas não muito construtiva.
Do ponto de vista baseados em recursos, cada organização pode ser considerada como um pacote único de recursos tangíveis e intangíveis.

Principais tipos destes recursos incluem o seguinte:

Questões internas distintas de questões externas
A incapacidade de compreender a diferença entre questões internas e externas é uma das principais razões para a análise SWOT mal conduzida.

Opções, estratégias ou táticas dos gerentes devem basear-se no que a empresa pretende fazer sobre suas oportunidades e ameaças em relação a suas próprias forças e fraquezas.

Se os gestores têm dificuldade em fazer uma avaliação honesta e realista destas questões, devem reconhecer a necessidade de trazer especialistas ou consultor externo para supervisionar o processo.

Desenvolver e alavancar vantagens competitivas
Vantagem competitiva são vantagens que podem surgir de várias fontes externas ou internas e referir-se a diferenças reais entre empresas concorrentes. A força chave mais provável a ser convertido em recursos serão aqueles que têm um grau de compatibilidade com oportunidades importantes e consideráveis.  Vantagens competitivas referem-se às diferenças reais entre empresas concorrentes.

Três estratégias básicas para obter vantagem competitiva:

Quatro orientações gerais para seus esforços estratégicos:

  1. Agressivo - (força interna / muitas oportunidades de força externa);
     
  2. Expansão e crescimento - com o novo produto e novo mercado, é a chave
    para uma abordagem agressiva. Vide Google;
     
  3. Diversificação - (força interna / muitas ameaças externas) as empresas nesta
    posição têm muito a oferecer, mas fatores externos enfraquecem sua capacidade de estratégia agressiva almejada. Vide Marlboro, Virginia, Príncipe Albert;
     
  4. Turnaround - (muitas fraquezas internas / muitas oportunidades externas) neste caso, as empresas normalmente têm de pôr sua própria casa em ordem antes de olhar para fora. Vide GM.

Ao traçarmos os objetivos a serem alcançados devemos registra-los de forma a garantir ter/ser:

Factível: estabelecimento de metas realistas é importante porque as principais partes envolvidas em alcançá-los devem ver cada atingimento como razoável. Empregado engajado tornar-se o "número um" na busca da meta, isto o motiva aos objetivos reais, enquanto metas irrealistas podem desmotivar, pois mostram ao funcionário que a gestão esta distante da realidade.

Consistência: além de ser realista, a gestão deve trabalhar para estabelecer metas coerentes entre si.

Abrangência: isto significa que cada área funcional deve ser capaz de desenvolver seus próprios objetivos, havendo paridade aos objetivos organizacionais (objetivos devem ajudar a esclarecer as funções de todas as partes da organização).

Tangibilidade: tangibilidade associada ao uso realista da criação dos objetivos deve trazer o aspecto desafiador, também pressionam continuamente na direção da excelência.

 

 

Apoio:
Expansão e Crescimeto Google: http://fortune.com/2010/07/01/googles-three-pillars-of-expansion/
Diversificação Malboro:  http://legacy.library.ucsf.edu/tid/dta03e00/pdf
Turnaround General Motors: http://www.forbes.com/sites/danbigman/2013/10/30/how-general-motors-was-really-saved-the-untold-true-story-of-the-most-important-bankruptcy-in-u-s-history/

 

Postado dia 04/05/2015 - Fonte: Essência Sobre a Forma

Visitantes: 2742


beylikduzu escort
porno
porno