COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Sérgio Lopes

• Mestre e graduado em Administração.
• Experiência profissional de 45 anos adquirida em empresas de diferentes portes e segmentos econômicos.
• Nos últimos 27 anos tem atuado ativamente como Consultor Empresarial
• Docente em cursos de Graduação e de Pós-Graduação em IES
• Instrutor em Cursos de Educação Corporativa, lecionando em diversos Estados do País.
• Atua, também, como Palestrante e possui diversos artigos publicados, em jornais, revistas e sites da Internet.
• Participa de projetos de voluntariado junto a Entidades de Classe.

 


As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte I

Por Sérgio Lopes

 

Com este artigo vamos começar a tratar do Planejamento Estratégico numa Empresa de Serviços Contábeis mostrando como esta ferramenta de gestão é importante para as empresas e como a sua prática pode proporcionar ganhos e vantagens significativas para todas aquelas que o adotam rotineiramente.

O Planejamento Estratégico é uma ferramenta de gestão que deve ser empregada por toda e qualquer Organização Contábil que deseja crescer, expandir suas atividades, ampliar seus mercados, atingir novos patamares de negócios e rentabilidade, enfim, prosperar de maneira sustentada e organizada.

Podemos começar afirmando que a prática do Planejamento Estratégico levará você, empresário contábil, a mudar a forma de olhar para a sua empresa, passando a vê-la como uma “Empresa de Serviços Contábeis” e não mais como “Escritório Contábil”, dando dar maior significado e amplitude às suas atividades e propiciando o início de um exercício exploratório de novas oportunidades de negócios adjacentes que complementam o negócio principal, sem descaracterizá-lo, ao contrário, agregando valor ao cliente e a sua própria organização.

Sob esta ótica, entendemos que o planejamento estratégico deve ser adotado como parte de um processo de evolução do próprio empresário contábil, que começa a se preocupar com os seus custos operacionais, com a qualificação de seu pessoal, com o uso adequado da tecnologia e com seu reposicionamento no mercado em função da concorrência e do aumento das exigências dos seus clientes.

Se até algum tempo atrás, a contabilidade era vista como um setor terminal para o qual fluíam os dados das empresas e que se transformavam em balanços, balancetes, diário e razão em determinadas datas do ano como parte do cumprimento do calendário fisco-tributário existente em nosso país, atualmente observamos que a importância que se dá às informações contábeis cresce cada vez mais, não só para avaliações de desempenho como para projeções de tendências dos números empresariais.

Esta mudança de enfoque do papel da importância da contabilidade para as empresas deve ser seguida também pelo empresário contábil, num pensamento sistêmico e visionário como parte integrante do processo de planejamento estratégico das empresas de serviços contábeis!

E o que vem a ser, então, Planejamento Estratégico?

Num conceito simples, é um processo pelo qual a empresa se defronta com o ambiente em que atua, elabora diagnósticos do momento atual, define objetivos e seleciona estratégias visando atingir uma situação desejada num tempo futuro.

Podemos consolidar este conceito, ressaltando as palavras de Peter Drucker, considerado o papa da Administração: “a ideia de que planejar significa adivinhar o futuro é simplesmente absurda. tudo o que se pode ter é preparo para enfrentar o que vier”.

Eu costumo sintetizar este pensamento dizendo que Planejar é a forma que a empresa tem para definir os objetivos que ela quer atingir e em que prazo e escolher os caminhos que serão trilhados para atingir estes objetivos.

E por que devemos adotar o Planejamento Estratégico nas Empresas de Serviços Contábeis como ferramenta de gestão?

A resposta é muito simples, porque o novo ambiente de negócios assim o exige; pois, o Planejamento Estratégico é a único instrumento de gestão empresarial que pode lhe auxiliar a diagnosticar, analisar e compreender as forças que atuam no mercado e dentro de sua empresa e que podem influencia-la e impacta-la tanto de forma positiva como negativa.

É apenas exercitando o Planejamento Estratégico em toda sua plenitude e nuances que você poderá detectar os pontos fortes e fracos de sua empresa e as ameaças e oportunidades existentes no ambiente externo que poderão ser tratadas como ameaças ou oportunidades.

Esta identificação de pontos fortes e fracos e de ameaças e oportunidades que também é conhecida por análise SWOT, é apenas uma parte do Planejamento Estratégico, é tão somente a etapa de diagnóstico a partir da qual serão desencadeadas as demais etapas do processo. Mas, trataremos da Análise SWOT futuramente.

Agora, gostaria de convida-lo a olhar “fora da caixa”, colocar a cabeça para fora da janela e observar o ambiente de negócios no qual o seu negócio (empresa de serviços contábeis) está inserido. Observe algumas características típicas do ambiente de negócios e responda: Como este ambiente está impactando em sua empresa, nos seus processos, nas suas entregas e, principalmente, nas relações com seus clientes?

Para colaborar com sua observação e reflexão, ofereço-lhe algumas características do que eu denomino de novo ambiente de negócios: São elas: amplamente globalizado, extremamente competitivo, exige alto grau de relacionamento interpessoal e de comprometimento das pessoas para com a empresa em que trabalham, altamente tecnológico e interativo, democraticamente aberto a diversidade étnica, política, social e cultural, exige tomadas de decisão cada vez mais ágeis e o exercício contínuo da visão sistêmica e integradora de todos os colaboradores, principalmente, daqueles que ocupam e exercem cargos de liderança.

Para terminar esta pequena lista de características do novo ambiente de negócios, vale mencionar a crescente tendência das empresas de praticarem princípios e critérios de uma remuneração variável que contempla o esforço coletivo em funções de metas alcançadas e, muitas vezes, superadas.

Caso você, meu (minha) caro (a) amigo (a) empresário (a) contábil, esteja pensando em se iniciar neste “admirável mundo novo” recomendo que inicie o processo com algumas reflexões, como por exemplo:

Uma boa maneira de criar um clima favorável ao Planejamento Estratégico em sua empresa é abrir as portas para a participação de todos os colaboradores na busca de respostas para estas e outras questões que você mesmo poderá elaborar.

Organize e promova as sessões de debates, ouça e registre as muitas sugestões que serão dadas, incentive seus colaboradores a darem suas ideias. Talvez, você vai se surpreender ao perceber quanto criativos e inovadores eles são.

Não se esqueça: Uma empresa que trabalha sob a égide do Planejamento Estratégico sabe que caminho deve seguir. Para uma empresa que não se planeja qualquer caminho serve e que poderá leva-la a lugar nenhum. (adaptação livre do diálogo de Alice com o Gato de Cheshire, uma passagem do livro  Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol).

No próximo artigo desta série, abordaremos os passos de uma metodologia simples e eficaz que lhe auxiliará no processo de planejamento estratégico de sua empresa de serviços contábeis.

 

Postado dia 13/09/2014 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Gestão da mudança: os segredos do sucesso - 17/01/2016

Dez dicas para pesquisa de clima organizacional - 11/01/2016

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte III - 06/01/2015

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte II - 27/10/2014

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte I - 13/09/2014

Com que roupa que eu vou? - 21/07/2014

Alô RH, o ESOCIAL foi adiado (mais uma vez). E agora? - 06/06/2014

Algumas Considerações Sobre Controles e Indicadores de Desempenho em Empresas Contábeis - 22/05/2014

Parceiros, parceiros, negócios que se complementam - 06/01/2014

Onde estão os meus clientes? - 20/11/2013

Alô RH, o ESOCIAL chegou. e agora? - 15/09/2013

Custos Invisíveis: Como Conhecê-los, Como combatê-los e Melhorar o Lucro de Sua Empresa - 07/08/2013

Roteiro Sugerido para Reuniões com Prospectos: 10 passos que poderão ajuda-lo a fechar um bom negócio. - 02/07/2013

O SPED e o Limão: Ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos – Parte 3 – Final - 20/05/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 2 - 02/04/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 1 - 25/02/2013

Comprometimento: uma via de mão dupla - 13/02/2013

A gestão da remuneração como instrumento de atração, retenção e valorização das pessoas pelas organizações - 03/02/2013

Como promover mudanças organizacionais bem sucedidas - 23/01/2013

Visitantes: 1407