COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Sérgio Lopes

• Mestre e graduado em Administração.
• Experiência profissional de 45 anos adquirida em empresas de diferentes portes e segmentos econômicos.
• Nos últimos 27 anos tem atuado ativamente como Consultor Empresarial
• Docente em cursos de Graduação e de Pós-Graduação em IES
• Instrutor em Cursos de Educação Corporativa, lecionando em diversos Estados do País.
• Atua, também, como Palestrante e possui diversos artigos publicados, em jornais, revistas e sites da Internet.
• Participa de projetos de voluntariado junto a Entidades de Classe.

 


Com que roupa que eu vou?

Por Sérgio Lopes

 

“Com que roupa que eu vou?
pro samba que você me convidou”. (Noel Rosa)

 

Inspiro-me numa das mais belas melodias compostas pelo talentoso compositor brasileiro Noel Rosa, ao qual peço licença, “in memoriam”, para utilizar o verso acima na apresentação deste artigo, cujo objetivo é sugerir aos meus amigos empresários contabilistas uma resposta à pergunta “Com que roupa que eu vou à reunião que você me convocou?”.

Sim, este é um tema que ainda gera dúvidas entre tantos profissionais e que muitas vezes é negligenciado, sendo, em minha opinião, um dos principais motivos, ou talvez, o principal, pelos quais os resultados de uma reunião profissional frustra suas expectativas.

Tudo começa com a tal da primeira impressão. Todos, literalmente todos, os experts em marketing pessoal são unânimes em afirmar que a primeira impressão é a que fica. E qual é esta primeira impressão? Em que momento ela acontece? Num encontro de negócios no qual o relacionamento pessoal é imperativo a primeira impressão nasce no contato visual entre os envolvidos.

A primeira métrica pela qual você é medido é pelo olhar de quem o recebe, o cumprimenta, o saúda, mesmo que informalmente, e este olhar espera encontrar um profissional, um empresário, proprietário de uma empresa de serviços contábeis, e, portanto, alguém a quem se agrega o rótulo de Diretor, bem vestido, bem calçado, bem penteado e bem barbeado (para os homens) ou bem maquiada (no caso, as mulheres), que transmita uma boa imagem, uma boa aparência e uma boa “primeira impressão”.

Desta forma, meu amigo, não tenha dúvidas de que, num encontro profissional, o melhor, sempre, é ir bem trajado, de preferência com uma roupa social, de terno com bom caimento, camisa e gravata combinando entre si e, também, com a cor do terno e com a cor dos sapatos, que devem estar sempre limpos e engraxados.

Seja cuidadoso, igualmente, com a tonalidade das meias que você usar. Procure combina-las com a cor dos sapatos. A maioria das roupas sociais masculinas, de tonalidades cinza, azul ou preta, aceita sem qualquer discussão, meias e sapatos pretos.

Não se esqueça de levar um lenço, limpo e bem dobrado, uma peça do vestuário tão rara de se ver nos dias de hoje, mas, muito útil, no momento de assoar o nariz ou enxugar as mãos, visto que, nem sempre encontramos disponíveis toalhas de papel à disposição para tal, quando a ela precisamos recorrer.

E quanto a você, minha amiga contabilista, como há muito mais variedades de cores e modelos de trajes sóbrios e elegantes com os quais você poderá comparecer a um encontro de negócios, além do que “estar na moda” é quase um imperativo para as mulheres, vale a pena lembrar que uma correta combinação de cores de roupas, sapatos, acessórios e complementos são fundamentais para uma boa apresentação pessoal, devendo-se evitar os exageros e os desequilíbrios que possam causar impactos no visual e, consequentemente, provocarem uma primeira impressão inadequada e contrária às suas expectativas de sucesso em uma reunião profissional.

Por fim, uma recomendação para ambos os sexos:

Não basta apenas tomar os cuidados recomendados com o traje pessoal, com os cabelos, os sapatos, a maquiagem (mulheres) e a barba (homens).

É fundamental que você não saia de casa sem “ele”.

Sobre o que estou falando?

Do seu Cartão de Visitas, que também deverá estar sempre presente em sua carteira, de preferência, atualizado e em boa quantidade. Afinal, você nunca sabe quando precisará dele, nem de quantos.

Cause uma boa primeira impressão, ela é o primeiro passo para a construção com sucesso dos seus relacionamentos profissionais.

 

Postado dia 21/07/2014 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Gestão da mudança: os segredos do sucesso - 17/01/2016

Dez dicas para pesquisa de clima organizacional - 11/01/2016

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte III - 06/01/2015

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte II - 27/10/2014

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte I - 13/09/2014

Com que roupa que eu vou? - 21/07/2014

Alô RH, o ESOCIAL foi adiado (mais uma vez). E agora? - 06/06/2014

Algumas Considerações Sobre Controles e Indicadores de Desempenho em Empresas Contábeis - 22/05/2014

Parceiros, parceiros, negócios que se complementam - 06/01/2014

Onde estão os meus clientes? - 20/11/2013

Alô RH, o ESOCIAL chegou. e agora? - 15/09/2013

Custos Invisíveis: Como Conhecê-los, Como combatê-los e Melhorar o Lucro de Sua Empresa - 07/08/2013

Roteiro Sugerido para Reuniões com Prospectos: 10 passos que poderão ajuda-lo a fechar um bom negócio. - 02/07/2013

O SPED e o Limão: Ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos – Parte 3 – Final - 20/05/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 2 - 02/04/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 1 - 25/02/2013

Comprometimento: uma via de mão dupla - 13/02/2013

A gestão da remuneração como instrumento de atração, retenção e valorização das pessoas pelas organizações - 03/02/2013

Como promover mudanças organizacionais bem sucedidas - 23/01/2013

Visitantes: 1282