COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Ronnie de Sousa

• Profissional de contabilidade com onze anos de experiência;
• MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) pela FIPECAFI / USP;
• Fundador do Portal Contábil Essência Sobre a Forma;
• Sócio diretor da FREC Contabilidade;
• Participação em mais de cinquenta cursos na área contábil, controladoria, fiscal e financeira;

 


Ativo Imobilizado, uma abordagem prática.

Por Ronnie de Sousa

 

O CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis) aprovou o Pronunciamento Técnico CPC 27 - Ativo Imobilizado e o CFC (Conselho Federal de Contabilidade), por meio da Resolução nº 1.177/2009 aprovou a NBC T 19.1 que define o tratamento contábil dos bens do Ativo Imobilizado.
O ativo imobilizado representa os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados a manutenção das atividades da entidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à entidade os riscos e controle desses bens.
Em regra geral um item do Ativo Imobilizado deve ser reconhecido se for provável futuros benefícios econômicos e o custo puder ser mensurado.
Os seguintes termos são utilizados no pronunciamento:
 

Custo: é o montante de caixa ou equivalente pago ou valor justo de qualquer outro recurso dado para adquirir um ativo.  
Valor Contábil: é o valor pelo qual um ativo é reconhecido após a dedução da depreciação e da perda por redução ao valor recuperável acumulada.
Valor depreciável: é o custo de um ativo menos o seu valor residual. 
Valor residual: quanto o mercado ativo irá pagar no final da vida útil do bem.
Valor justo: é o valor pelo qual um ativo pode ser negociado entre partes interessadas, conhecedoras do negócio e independentes entre si, com ausência de fatores que pressionem para a liquidação da transação ou que caracterizem uma transação compulsória.
Depreciação: é a alocação sistemática do valor depreciável de um ativo ao longo da sua vida útil.
Vida útil: O tempo de utilidade esperada de um ativo para a entidade. 
Perda por redução ao valor recuperável: é o valor pelo qual o valor contábil de um ativo excede seu valor recuperável.

O custo de um item do ativo imobilizado compreende seu preço de aquisição mais imposto não recuperável sobre a compra, deduzindo os descontos comerciais e abatimentos, os custos diretamente atribuíveis para colocar o bem no local em condições de uso e a estimativa inicial dos custos de desmontagem e remoção do item.
O valor do custo de um item do ativo imobilizado é equivalente ao preço a vista, se o prazo de pagamento excede os prazos normais de credito a diferença entre o preço á vista e o total de pagamentos deve ser reconhecido como despesa com juros durante o período.
O custo de manutenção periódica do bem não é reconhecido como parte integrante do ativo imobilizado, estes custos são reconhecidos no resultado quando incorridos. 
Os itens menores como peças e ferramentas somente são classificados como ativo imobilizado quando a entidade espera usá-lo por mais de período.
 

Vamos aos exemplos:
Exemplo para visualização do valor contábil: 

Neste caso visualizamos o valor contábil, que deve ser revisado periodicamente, quando o valor recuperável for menor que o valor contábil deve ser constituída provisão para perdas.

Exemplo para visualização do valor depreciável:

Neste caso a base para aplicar a taxa de depreciação é R$ 400,00, ou seja, o valor de custo menos o valor residual (quanto o mercado ativo irá pagar no final da vida útil do bem)

Exemplo para visualização de perda por redução ao valor recuperável:

Um ativo esta desvalorizado quando seu valor contábil excede seu valor recuperável, com isso nasce a obrigação de reconhecer, no resultado do exercício, sua desvalorização.

É importante observar que a partir da vigência da Lei 11.638/2007 as entidades passam a manter os dados patrimoniais e de resultados econômicos distintos dos dados fiscais. OS demonstrativos econômicos atendem os interesses societários e os demonstrativos fiscais atendem as bases fiscais.  

Nos próximos artigos vamos discorrer um pouco mais sobre depreciação e suas modalidades.
Para encerrar deixo uma frase: “A idéia de trabalho precisa ser substituída pelo conceito de realizar uma obra” (Mário Sérgio Cortella) 
Vamos em frente!

Postado dia 06/05/2012 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Comentários:


Clique aqui para comentar este artigo


Vanessa

Analista contábil
São Paulo - SP
Membro desde: 10/07/2012
Ronnie, sou nova em uma consultoria de bens patrimoniais e este artigo me ajudou bastante - obrigada.

Dia 10/07/2012 às 09:47:47


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Rômulo, Ralph e Tatinha, obrigado pelos comentários, vamos falar mais sobre imobilizado, espero continuar contando com a leitura, elogio e critica de vocês. Grande abraço!

Dia 25/06/2012 às 20:28:51


Rômulo Xavier

Coordenador de Ativo Imobilizado
São Paulo - SP
Membro desde: 22/06/2012
Ronnie, parabéns pelo artigo !!

Dia 22/06/2012 às 12:18:22


Tatinha Reis

contadora
Eunápolis - BA
Membro desde: 20/06/2012
Parabéns Ronnie, enriquecedor o artigo.
Aguardando o próximo .
Sucesso!!

Dia 22/06/2012 às 01:17:11


Oathkeeper

Contador
Rio de Janeiro - RJ
Membro desde: 16/06/2012
Ronnie, achei a matéria boa, porém você poderia ter falado como essa reavaliação é feita para se detectar essa perda no valor recuperável, no caso o teste de impairment. É importante citar também que essa perda só será reconhecida no resultado se não houver reserva de reavaliação que possa cobri-la.

Um grande abraço...

Dia 16/06/2012 às 22:39:56


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Paulo, estou a disposição para o que for necessário, ao concluir o TCC vamos publicar aqui no Portal.

Marcos, meu amigo obrigado pelas palavras.

Igor, continue trilhando o caminho do conhecimento, isto é muito importante.

Dia 09/06/2012 às 03:05:51


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Reinaldo, o Ativo Imobilizado ainda traz muitas dúvidas aos contabilistas, realmente uma abordagem em forma de vídeo seria interessante.

Dia 09/06/2012 às 03:01:07


Reinaldo Pereira Santos

contador
São paulo - SP
Membro desde: 01/04/2012
Ótimo material para uma vídeo aula



Dia 08/06/2012 às 19:21:26


Marcos Vinicius

Analista de contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 07/06/2012
Ronnie, é muito bom presenciar a qualidade dos artigos deste site. Parabéns!

Dia 07/06/2012 às 21:02:38


PAULO ROBERTO SILVA NASCIMENTO

CONTADOR
TABOÃO DA SERRA - SP
Membro desde: 02/12/2012
Caro Ronnie, mais uma vez parabéns pela didática e clareza.
Estou concluindo em junho/2012 a minha graduação e o tema escolhido para TCC foi esse - Ativo Imobilizado.
Obrigado.

Paulo Nascimento

Dia 03/06/2012 às 14:07:44


Igor Romeu

Estudante
São Paulo - SP
Membro desde: 02/06/2012
Bem explicado!

Dia 02/06/2012 às 21:22:15


Prof Max Vieira

Consultor / Professor
Sorocaba - SP
Membro desde: 28/05/2012
Ronnie
Boa Noite,

Obrigado pelo convite, será um prazer trocar conhecimento e ajudar a todos.

Gostaria de saber como posso colaborar com artigos no site e gostaria de aproveitar a oportunidade e divulgar meu livro "ESCRITA FISCAL - Edição Compacta"

Parabéns pelo site.

Att.

Prof. Max Vieira

Dia 28/05/2012 às 21:46:19


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Obrigado pelos comentários, certamente é um incentivo a mais para continuar a missão de disseminar a informação contábil.

Dia 27/05/2012 às 02:33:46


Johana Silva Telson

Analista Contábil PL
São Paulo - SP
Membro desde: 30/09/2012
Ronnie, obrigada por me apresentar este site, tenho me atualizado a cada dia, parabéns pelo trabalho!!!

Dia 23/05/2012 às 19:29:26


Eduardo Leandro Campos Peixoto

Auditor
Belo Horizonte - MG
Membro desde: 11/07/2012
Ronnie excelente abordagem, vamos em frente!!

Dia 23/05/2012 às 09:57:04


Ariana

Estudante
São Paulo - SP
Membro desde: 19/11/2012
Muito legal, vou acompanhar os próximos

Dia 10/05/2012 às 21:50:48


Theodoro Versolato Junior

Contador
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Ronnie, muito bom artigo. O ativo fixo tem sido o dilema dos contadores. Muito bom você definir as regras, vamos aguardar o próximo artigo com as depreciações.

Theodoro

Dia 09/05/2012 às 13:18:05


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Marco, boa idéia, após publicar os demais artigos sobre ativo imobilizado abordando vida útil e depreciação vou considerar sua sugestão.

Dia 07/05/2012 às 20:12:06


Marco

contador
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Ronnie, aproveita e transforme isso em uma vídeo aula, muito bom.

Dia 07/05/2012 às 08:23:21

Visitantes: 5281