COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Luciano Perrone

• MBA em Gestão Empresarial(FGV);
• Especialização em Estratégia Empresarial (FEA-USP);
• Bacharelado em Ciências Contábeis (Universidade São Judas Tadeu);
• Técnico em Contabilidade;
• Habilidades em gestão de pessoas e processos;
• Excelente experiência em toda a rotina contábil/financeira, atuando como Gestor Contábil e Financeiro;
• 15 anos atuando na Serasa S/A, atual Serasa Experian;
• Desenvolvimento e aplicação de treinamentos técnicos e comportamentais;
• Professor de Graduação, Pós-Graduação e MBA. Instrutor do CRC, SESCON e SINDCONT;
• Sócio Diretor da RP Treinamento, Desenvolvimento, Consultoria e Terceirização Contábil;
• Sócio Diretor da Perrone Contábil;
• Especialista em IFRS – Novas Normas Contábeis.

 


IFRS – Exigência ou oportunidade?

Por Luciano Perrone

 

Estamos no início de 2012 e ainda temos muitos contadores, administradores, gestores e empresários que não estão preocupando-se com os impactos gerados pelas novas normas contábeis – IFRS, que estão em vigor no Brasil desde janeiro de 2008 para grandes empresas e janeiro de 2010 para as pequenas e médias.

Acredito que um dos principais motivos que geram essa distância com relação às Novas Normas Contábeis seja a neutralidade tributária. Os envolvidos direta ou indiretamente com a contabilidade, dedicam grande parte de seu tempo para planejar, recuperar e recolher tributos, esquecendo-se ou não conseguindo dedicar-se à gestão contábil, financeira e estratégica da empresa.

Considerando que não haverá impacto tributário e que os Órgãos Reguladores Fiscais ainda não desenvolveram posicionamentos sólidos perante às novas normas, cito algumas vantagens proporcionadas pelas Novas Normas – IFRS:

- Transparência, clareza, atualidade, compreensibilidade e integridade nos demonstrativos contábeis; 
- Acesso ao crédito facilitado, considerando a confiabilidade nos demonstrativos; 
- Possibilidade de geração de negócios internacionais (importação, exportação, etc); 
- Incentivo para combinação de negócios em empresas de pequeno e médio porte (incorporação, cisão e fusão);

Poderia citar muitas outras vantagens, porém, prefiro ressaltar que os bancos e o mercado em geral, exigirão a adoção das novas práticas. Será uma questão de sobrevivência corporativa e uma porta para a globalização, visto que já temos mais de 120 países no mundo praticando as IFRS.

Finalizando, enfatizo que não só vantagens estratégicas devem ser consideradas. A Lei 12.249 de junho de 2010 exibe penalidades para os contadores que não praticarem as novas normas, visto que o desconhecimento e a não utilização das IFRS, podem ser julgados como incapacidade técnica do profissional.

Diante do exposto, concluo que é primordial que tenhamos comprometimento e envolvimento imediato com a adoção das novas normas, pensando na continuidade das organizações, nas oportunidades de negócios e nos diferenciais competitivos que poderão ser propiciados pelas Novas Normas Contábeis - IFRS.

Postado dia 22/04/2012 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Comentários:


Clique aqui para comentar este artigo


Levi Gimenez

Contador e Professor Universitário
São Paulo - SP
Membro desde: 24/09/2012
Parabéns prof. Luciano Perrone, ao responder uma pergunta que nossos colegas, e futuros colegas de profissão, sempre fazem em palestras sobre IFRS/PME ou "Contabilidade das Pequenas e Médias Empresas": Somos obrigados a adotar o CPC/PME?. Não podemos confrontar as normas internacionais, ao contrário, devemos estudar, entendê-las e fazermos um contabilidade dentro destes princípios e teremos os resultados apresentados pelos professor: transparência, credibilidade
A qualidade e transparência oriundas com a adoção dos novos princípios proporcionará uma série de vantagens, inclusive o reconhecimento da sociedade e neste caso vale lembrar o prof. Philip Kotler: "antes o que era bom para a empresa era bom para a sociedade, hoje, o que é bom para a sociedade é bom para a empresa.

Dia 19/06/2012 às 12:04:44


Ariana

Estudante
São Paulo - SP
Membro desde: 19/11/2012
Logo logo todos vão se acostumar com as novas normas contábeis

Dia 10/05/2012 às 22:02:06


Marco

contador
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
Realmente está difícil, mas acredito que no momento IFRS seja exigência para alguns e oportunidade para outros, mas ver com o tempo qual lado a balanço tende a pender.

Dia 04/05/2012 às 07:21:26


Reinaldo Pereira Santos

contador
São paulo - SP
Membro desde: 01/04/2012
Chegou a hora de colocar todos os profissionais da contabilidade à prova!. Estamos preparados?

Dia 03/05/2012 às 13:47:42


Vanderlei Rodrigues da Silva

Analista de Custos de Produção
São Paulo - SP
Membro desde: 11/10/2012
Muito bom!

Dia 02/05/2012 às 20:42:43


Johana Silva Telson

Analista Contábil PL
São Paulo - SP
Membro desde: 30/09/2012
Viva a convergência, estou preparada, afinal fiz sua oficina, rsrsrs

Dia 01/05/2012 às 18:50:22


Ronnie de Sousa

Profissional de Contabilidade
São Paulo - SP
Membro desde: 03/04/2012
O ponto mais importante é que as normas de IFRS vieram para ficar e o mercado não aceitará um processo de acomodação ou retorno à antiga dinâmica de escrituração contábil. Excelente Prof. Luciano.

Dia 01/05/2012 às 12:15:21

Visitantes: 3114