COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Sérgio Lopes

• Mestre e graduado em Administração.
• Experiência profissional de 45 anos adquirida em empresas de diferentes portes e segmentos econômicos.
• Nos últimos 27 anos tem atuado ativamente como Consultor Empresarial
• Docente em cursos de Graduação e de Pós-Graduação em IES
• Instrutor em Cursos de Educação Corporativa, lecionando em diversos Estados do País.
• Atua, também, como Palestrante e possui diversos artigos publicados, em jornais, revistas e sites da Internet.
• Participa de projetos de voluntariado junto a Entidades de Classe.

 


Parceiros, parceiros, negócios que se complementam

Por Sérgio Lopes

 

Você já deve ter ouvido milhões de vezes a frase “amigos, amigos, negócios a parte”, mas, provavelmente, ainda não tinha ouvido a frase acima, título deste artigo: “Parceiros, parceiros, negócios que se complementam”

Sim, estamos falando de parcerias e, mais especificamente, de parcerias técnicas entre empresas de serviços contábeis e empresas ou profissionais de outros segmentos de negócios, que, quando consistentes e duradouras, não só multiplicam sua capacidade de atendimento e encantamento de seus clientes como transformam sua empresa num “polvo” com múltiplas e contínuas oportunidades de serviços.

E o que vem a ser Parceria Técnica?

Conceitualmente, podemos considerar Parcerias Técnicas como sendo acordos, verbais ou escritos, celebrados entre uma Empresa Contábil e uma empresa de outro segmento de negócios, cujos focos ou áreas de atuação profissional se complementam  de tal sorte que uma atividade é executada como continuidade da outra ou, ainda, em outras situações,  estão diretamente relacionadas como partes integrantes de um processo de trabalho que uma terceira empresa, no caso, o cliente (de ambos).

Vamos exemplificar: São parceiros característicos das empresas de serviços contábeis, escritórios de advocacia, consultorias tributárias, corretores de seguros etc.

A fim de facilitar seu trabalho e sugerir respostas para a pergunta: “com quem posso firmar parcerias?” apresento a seguir uma lista completa, porém, não exaustiva, de áreas de negócios nas quais você poderá desenvolver e celebrar parcerias técnicas:

 

 

Mas, chamo sua atenção para os cuidados a serem tomados na hora de decidir por um parceiro técnico.

Adote, se possível, alguns procedimentos preliminares, tais como: reuniões de aproximação e entendimento, troca de dossiês profissionais, visitas mútuas, levantamento de informações fisco-legais e de informações de mercado.

Nada melhor do que obter referências de clientes, fornecedores ou mesmo de entidades de classe a respeito do perfil do seu futuro (ou não) parceiro técnico.

Confiança e credibilidade são vitais numa parceria técnica, porém, há que ter uma certa dose de prudência para não sofrer dissabores no futuro.

Mesmo assim, sua PARCERIA será uma incógnita que só o tempo dirá se você acertou ou errou !

 

Postado dia 06/01/2014 - Fonte: Essência Sobre a Forma


Todos os artigos deste autor:

Gestão da mudança: os segredos do sucesso - 17/01/2016

Dez dicas para pesquisa de clima organizacional - 11/01/2016

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte III - 06/01/2015

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte II - 27/10/2014

As Empresas Contábeis e o Planejamento Estratégico - Parte I - 13/09/2014

Com que roupa que eu vou? - 21/07/2014

Alô RH, o ESOCIAL foi adiado (mais uma vez). E agora? - 06/06/2014

Algumas Considerações Sobre Controles e Indicadores de Desempenho em Empresas Contábeis - 22/05/2014

Parceiros, parceiros, negócios que se complementam - 06/01/2014

Onde estão os meus clientes? - 20/11/2013

Alô RH, o ESOCIAL chegou. e agora? - 15/09/2013

Custos Invisíveis: Como Conhecê-los, Como combatê-los e Melhorar o Lucro de Sua Empresa - 07/08/2013

Roteiro Sugerido para Reuniões com Prospectos: 10 passos que poderão ajuda-lo a fechar um bom negócio. - 02/07/2013

O SPED e o Limão: Ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos – Parte 3 – Final - 20/05/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 2 - 02/04/2013

O SPED e o limão: ambos sozinhos são azedos, mas, em boa companhia são deliciosos - Parte 1 - 25/02/2013

Comprometimento: uma via de mão dupla - 13/02/2013

A gestão da remuneração como instrumento de atração, retenção e valorização das pessoas pelas organizações - 03/02/2013

Como promover mudanças organizacionais bem sucedidas - 23/01/2013

Visitantes: 1851