COLUNISTAS


Facebook Twitter Linkedin
Renata Cavalcante

• Formada em Ciências Contábeis pela Faculdade Integrada do Ceará – FIC (Estácio de Sá);
• Especialista em Auditoria Contábil;
• Pós-Graduanda em Gerenciamento de Projetos;
• Professora na Faculdade Stella Maris – Obóe;
• Membro do CRCCE Jovem;
• Atuou como Auditora Interna de empresas nos ramos: Têxtil e Educacional;
• Hoje atua como Auditora Externa da empresa Controller Auditoria e Assessoria Contábil S/S, empresa-membro da Rede Moore Stephens International no qual atua nas principais cidades do mundo.

 


Auditoria Interna x Controladoria: O equilíbrio das organizações

Por Renata Cavalcante

 

A economia de um país, em que cada vez se enfatiza a modernidade e a competitividade demanda a presença de setores para o bom desenvolvimento das organizações. A necessidade que as empresas têm hoje de mostrar suas informações ao público de uma forma coerente, sintética, explicativa e transparente, consta a importância dos controles internos e processos como complemento de uma série de objetivos para se atualizar, construir, inovar e criar controles até que se tenha como resultado a excelência.

Em virtude destas grandes mudanças ocorridas no cenário mundial às organizações se viram obrigadas a criar um diferencial de modo a equilibrar e salvaguardar suas informações.

O objetivo das empresas é o cumprimento das metas, utilizando o compliance, o gerenciamento de projetos, análises dos riscos entre outras ferramentas que auxiliam na tomada de decisão, além de fornecer base de dados no qual o setor de Controladoria juntamente com a Auditoria Interna possam utilizar como forma de buscar o melhor caminho a ser seguido evitando que os controles inseridos sejam fraudados.

O fluxo das informações dentro de uma companhia exige, a cada dia, o maior número de dados do qual exigem a maximização do desempenho e do controle em que a Auditoria Interna e a Controladoria irão surgir para exercer papel preponderante para o equilíbrio das organizações, apoiando a alta administração em seu processo de planejamento e controle interno.

As duas áreas procuram integrar-se no processo das informações das empresas, possibilitando a implementação de suas estratégias específicas. Tais informações devem ser tratadas como um recurso valioso, de forma a assegurar a continuidade e o cumprimento da missão da empresa.

A Controladoria, que em seu conceito, busca fornecer aos gestores a informação necessária para atingir os objetivos da empresa, é considerada então como a unidade administrativa responsável pelo acompanhamento da gestão e o controle dos recursos disponíveis para o processo de produção, bem como a análise do desempenho das operações da empresa.

O setor de auditoria interna é responsável pela avaliação e pelo assessoramento da administração voltada para o exame e a avaliação da adequação, da eficiência e da eficácia dos sistemas de controle, bem como da qualidade do desempenho das áreas em relação às atribuições e aos planos, às metas, aos objetivos e às políticas definidos para elas.

Vale ressaltar que de nada valeria a implantação de procedimentos internos, sem que houvesse um acompanhamento dos mesmos.

 

Auditoria e Controladoria

No momento atual, as organizações são obrigadas a reinventar seus processos de controle e gestão, elaborando formas para superar os desafios e implantando rotinas para definir seus controles. Vários setores distribuídos pela organização são congregados a fazer parte de um único todo para alcançar melhores resultados.

Nesse contexto é que surge a integração das áreas de auditoria interna com a controladoria, estabelecendo como objetivos para a organização: prover bens e serviços com qualidade de forma a que seus clientes continuem a adquiri-los e assim poder, em um processo contínuo, permitir que esta mesma organização possa crescer permanentemente e gerar resultados para promover esse ciclo.

 

A auditoria interna nas organizações

A Auditoria Interna começou como uma função administrativa que era exercida por uma única pessoa e que consistia principalmente na verificação independente de contas, antes de seu pagamento. Com o tempo, evoluiu para uma atividade profissional altamente qualificada que se entende à avaliação da eficácia e eficiência de todas as fases das operações financeiras e não financeiras da empresa.

Para Attie (2007, p. 4-5), A Auditoria Interna, também conhecida como Auditoria Operacional, toma forma embrionária como uma atividade necessária à organização e desenvolve-se, a fim de seguir a gerência ativa, concedendo-lhe alternativas, como ferramenta de trabalho, de controle, de assessoria e administração. [...] a auditoria interna, por meio de suas atividades de trabalho, serve à administração como meio de identificação pela companhia, assim como os sistemas contábeis e de controle interno, estão sendo efetivamente seguidos e que as transações realizadas estão refletidas contabilmente em concordância com os critérios previamente definidos. Em síntese pode-se dizer de acordo com Attie (2007, p.45) que a auditoria interna tem por objetivos:

 

Examinar a integração e fidedignidade das informações financeiras e operacionais e os meios utilizados para aferir, localizar, classificar e comunicar essas informações;

Examinar os sistemas estabelecidos, para certificar a observância às políticas, planos, leis e regulamentos que tenham, ou passam a ter impacto sobre operações e relatórios, e determinar se a organização esta em conformidade com as diretrizes;

Examinar os meios usados para a proteção dos ativos e,se necessário, comprovar sua existência real;

Verificar se os recursos são empregados de maneira eficiente e econômica;

Examinar operações e programas e verificar se os resultados são compatíveis com os planos e se essas operações e esses programas são executados de acordo com o que foi planejado;

Comunicar o resultado do trabalho de auditoria e se certificar que foram tomadas as providências necessárias a respeito de suas descobertas.

 

Na maneira apresentada pelo Institute of Internal Auditors, (1978, apud SÁ, 2008 p.15), a moderna auditoria interna é mais que um mero confronto matemático de rotinas, é exame de contas. Compreende a revisão completa das operações e finanças internas de uma empresa.

 

A controladoria no sistema empresa

A Controladoria é o órgão administrativo responsável pela gestão econômica da empresa, com o objetivo de levá-la a maior eficiência. A controladoria caracteriza-se por ser um órgão de suporte, não de assessoria, portanto sua função é apoiar todos os gestores empresariais, em todas as etapas do processo de gestão. Toda empresa tem uma série de obrigações criadas pela legislação, que devem ser atendidas sob pena de impedir a continuidade do empreendimento, tais como obrigações legais, societárias, fiscais, entre outras.

Sobre a controladoria, Padoveze (2004, p.31) aponta o seguinte: “A Controladoria é a unidade administrativa dentro da empresa que, através da Ciência Contábil e do sistema de informação, é responsável pela coordenação da gestão econômica do sistema empresa”.

A responsabilidade do gerenciamento de uma empresa é um fator determinante para o seu crescimento, pois se cria a necessidade de um sistema que identifique quais os padrões que deverão ser mantidos e quais os que necessitarão ser mudados, para que haja a eficiência e a eficácia da organização dentro de um resultado econômico financeiro satisfatório.

A Controladoria, nada mais é do que um sistema de feedback que ajusta a comparação entre o desempenho e o objetivo planejado, sendo ele de longo ou de curto prazo. O controle permite ao gestor rever tais objetivos à luz de novas circunstâncias, sendo real ou não. Para haver um controle real, associa-se o planejamento ao sistema de feedback que informa o resultado de decisões passadas (FIGUEIREDO; CAGIANNO, 2004).

 

A importância do controle interno para a auditoria interna

A avaliação dos controles internos é uma atividade decisiva na realização dos trabalhos de auditoria.

A auditoria dos tempos atuais demonstra que não há mais um simples exame dos demonstrativos contábeis em contraposição aos registros da escrituração. Ela busca a consonância dos Princípios Fundamentais de Contabilidade e das Normas Brasileiras de Contabilidade, à medida que preserva a materialização adequada dos fenômenos que afetam a Ciência Contábil como um todo.

É comum pensar-se que a Auditoria Interna e o Controle Interno são termos sinônimos. Na definição do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), no qual dispõe nas Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC T 12) a Auditoria Interna é definida da seguinte maneira:

 

Auditoria Interna compreende os exames, as análises, as avaliações, os levantamentos e as comprovações, metodologicamente estruturados para a avaliação da integridade, adequação, eficácia e economicidade dos processos, dos sistemas de informações e de controles internos integrados ao ambiente, e de gerenciamento de riscos, com vistas a assistir à administração da entidade no cumprimento de seus objetivos. (CFC, 2006, p. 24)

 

O conceito de controle interno para a controladoria

O processo de avaliação dos controles por parte da Controladoria representa uma das atividades mais importantes para garantir a fidedignidade das informações para o processo decisório.

Seguindo a Norma Brasileira de Contabilidade (NBC T 11) do Conselho Federal de Contabilidade (2006), a responsabilidade primária na prevenção e identificação de fraudes e erros é da administração da entidade, por meio da implementação e manutenção de adequado sistema contábil e de controle interno.

Deste modo, o controle interno é monitorado pela Controladoria, através de um conjunto de investigações sobre as principais atividades da entidade, objetivando assim, o constante entendimento do fluxo das atividades, direcionando sua atenção para as possibilidades de ocorrência de fraudes causadas por falhas no controle interno.

 

Conclusões

O ambiente das organizações vem demandando, cada vez mais, medidas e técnicas para um maior controle e, consequentemente, obter um equílibrio dentro dos processos. O equilíbrio das organizações irá envolver todas as áreas, caracterizando como um processo contínuo e integrado para a tomada de decisões.

Comprovando que a Controladoria tem como missão a otimização dos resultados, com intenção de criar os controles internos e que a Auditoria Interna esta sempre alerta aos fatos ocorridos, comparando situações para prevenir o futuro, gerenciando os riscos, as organizações têm em seu poder o caminho para aumentar a eficiência de seus negócios.

Procurou-se assim apresentar a importância da adoção de áreas de a Auditoria Interna e Controladoria como forma de contribuir para o progresso organizacional, possibiltando, assim, o equilíbrio das organizações diante das dificuldades existentes em um ambiente operacional.

A temática abordada constitui-se em diferenciação entre as áreas de Auditoria Interna e Controladoria que se confundem diariamente devido ao controle interno, objetivo principal das duas áreas. Essa constatação apenas reforça a necessidade de aprofundar a discurssão sobre com a Auditoria Interna juntamente com a Controladoria podem trazem melhores resultados e desenvolvimentos nas empresas.

 

Referências

  1. ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Auditoria um curso moderno e completo. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1996.
  2. ATTIE, Wiliiam. Auditoria: conceitos e aplicações. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1998.
  3. ATTIE, Wiliiam. Auditoria: conceitos e aplicações. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
  4. CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria e Perícia. Brasília, DF: CFC, 2006.
  5. FIGEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo Cesar. Controladoria: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2004.
  6. PADOVEZE, Clovis Luis. Controladoria básica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.
  7. PINHO, Ruth Carvalho de Santana. Fundamentos de auditoria: auditoria contábil; outras aplicações de auditoria. São Paulo: Atlas, 2007.
  8. SÁ, Antônio Lopes de. Controladoria ou contadoria? Fortaleza, 2007. Disponível em: < http://www.netlegis.com.br/indexRC.jsp?arquivo=detalhesArtigosPublicados.jsp&cod2=1116 >. Acesso em: 29 nov. 2012.
  9. SCHMIDT, Paulo; SANTOS, José Luiz dos. Fundamentos de controladoria. São Paulo: Atlas, 2006.

Postado dia 04/01/2014 - Fonte: Essência Sobre a Forma

Visitantes: 24535